20 de dez de 2010

Por que comigo?





Sensação de algo ruim. Nó na garganta, cabelo atrás da orelha, franja de lado e um aspecto de indiferente e sozinha no mundo, sim, essa sou eu. Tenho amores sim, tenho uma vida feita e um sonho planejado. Costumo sempre dizer algumas palavras que não deveriam ser ditas. Sei falar, sei escrever e ainda sei ficar quieta quando preciso. Poderia ter te amado muito, eternamente, se fosse possível. Criei alguns sonhos, desisti de alguns. Criei personagens, matei todos. Sobrou só eu e um único personagem que é totalmente real e totalmente dolorido, sim, o personagem dessa história que seria na verdade um conto de farsas, de mentiras e de um fim totalmente inesperado.
No fim disso tudo, não espero mais ter ele ao meu lado. Não espero mais ele. E isso me deixa incrivelmente triste. Ele era tudo, tudo que eu poderia imaginar e escrever. Tudo que eu poderia até querer para mim, mas o endeusamento por esse amor, infelizmente está chegando ao fim. A obsessão de querer ver essa história com um final feliz está chegando ao fim. Sou de verdade e preciso viver como tal. Preciso trancar o meu quarto de imaginações e sair por aí. Preciso parar de ver algo que não existe. Preciso parar de ver amor, excitação, paixão, vontade aonde não tem amor, excitação, paixão e vontade. Tenho vontade de atormentar o seu mundo, mas não seria vingança e eu não quero aparentar uma ameaça para ninguém. De ameaça já basta eu mesmo.
Por que eu preciso passar por isso? É alguma prova de resistência? É alguma prova de saber se eu estou ou não qualificada para viver sem amor? Qual é dessa vez? Tem algum motivo? Me dói isso, será que o destino não percebe isso? E quando acabam se informando sobre o meu estado de menina iludida, querem me ajudar. Mas sabe quem é contra isso? Eu! Todos querem me ajudar e eu não deixo. Todos querem me ver bem, menos eu. Todos querem que te esqueça, adivinhe quem é a única do contra nisso? Eu. 
Não consigo mais ver situações para imaginar e escrever. Não consigo mais tirar você do lugar aonde eu coloquei.  Não consigo mais sair do lugar onde eu estou. Ando por aí, procuro novos lugares, mas sempre volto para o mesmo lugar. 
Eu só quero saber aprender a amar com calma. Não atropelar, não criar expectativas. Quero deixar que tudo vá e que tudo volte ao tempo certo, mas que não demore muito, a vida é curta demais, e o tempo, mais curto ainda. Como se fosse um roteiro e algo me controla. Algo que ninguém sabe quem. Talvez Destino, talvez Anjos, Deus, estrelas ou até mesmo você. Pode sim, pode ser que meu lugar esteja ao lado do grande amor insuperável, mas pode estar do lado de quem eu menos imagino, e quem menos espero. Mas como uma boa questionadora, fica a minha pergunta: Por que eu?

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©