3 de dez de 2010

O tempo quase passou




Sinto um gosto amargo na boca ainda, um sabor que se revela aos poucos, e eu não sei o que isso quer dizer Hoje, se completa o nosso primeiro mês. O primeiro de muitos. Mas foi melhor assim. E se não for? Não tenho outra escolha, virará então, apenas um conto. Queria muito que você não me abandonasse, queria apenas que depois de tudo, você me ligasse e falasse que me ama como nunca amou ninguém e eu sei que é só uma vontade, porque só uma vontade. Acaba-se aí. O novo menino é quase igual. E eu não o queria no começo, desisti, tentei não me envolver, mas acho que ando me apaixonando por ele. O jeito que ele me olha, o jeito que eu sinto quando ele está perto. É tudo muito confuso para mim, já que eu sempre quis guardar você dentro de mim.
E toda aquela lenda. Se você estiveres feliz eu também estou. Não resolve para mim, eu não quero ver você feliz sem meu jeito chato que concordava com você em tudo e achava graça nesses contos como se o mundo se girasse em torno de nós. Como se eu finalmente pudesse suspirar aliviada de saber que sim, você poderia ser o estranho entre todos, mas era o que eu mais gostava e que iria defender esse sentimento até o fim.
Hoje, o dia começou chovendo e eu fiquei olhando por trás da janela do meu quarto. Senti indo embora aos poucos. Eu só queria que você soubesse que eu andei pensando em você. No começo até o fim. E viveria sua vida de novo, deixaria tudo para trás só para te acompanhar. Mas pena que isso não aconteceu. Quis ir sozinho e foi. Fiquei aqui, e eu vejo a vida indo e voltando. Me levando e me trazendo todas às vezes que eu sinto uma falta de tudo, de todos.
O meu amor por você foi algo que eu não sei explicar, ninguém sabe, acho que nem você. Você teria tudo para mudar a minha vida, mas conseguiu me deixar pior. Conseguiu não me querer mais nem enfrentar o destino. E hoje, começo a construir algo novo. Ligações novas, amores novos, sorrisos e vontades. Voltei a sorrir, sabia? Mas continuou espalhada por aí. Não sei existir por inteira. Talvez, daqui um mês, começo a ser inteira. Talvez não. Talvez tudo hoje. Talvez nada. E você? Quer saber sobre o novo menino? Eu te conto. 
Ele é lindo e parece que eu não consigo parar de falar isso. Gosto tanto dessa história de: Estou te olhando, mas ao mesmo tempo estou te ignorando. Gosto desse joguinho da conquista. Ele me olha e abaixa a cabeça. Eu o olho e viro o rosto. E ele volta a me olhar. Tento conquistar ele pelo o meu jeito tímido que às vezes me freia e eu não consigo nem tirar o olho dele e muito menos, não consigo dizer algo para ele.
E assim, acaba o dia que escolhi viver algo real. Escolhi deixar você para existir. E dói ainda. Não escuto mais seu nome. Evito entrar em contato.
Então. Me deseje sorte agora, quero ser feliz como você está. Quero ser melhor que você. Quero que você perceba que eu posso seguir em frente depois de tudo. Que perceba também, que no fim das contas, me perdeu. Mas eu te faço perceber depois que você jamais vai me perder. E se for assim, que deixe ser. Que seja a melhor escolha para nós.

Ps: Um mês de blog - 720 horas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©