30 de jun de 2018

O medo das coisas



Minha tia teve um namorado na sua vida quase adulta, mais ou menos, na idade que eu estou hoje. Eles ficaram juntos por um tempo, e ele a largou, e logo se casou com uma outra mulher. Anos se passaram, ela nunca o esqueceu, e ele também não. Mantiveram contato por anos, por telefonemas, cartas, e por último, por WhatsApp até que ela faleceu, e ele ficou triste. Hoje me deparei com algumas indiretas no perfil de uma rede social, com músicas de Roberto Carlos onde dizia que perdia um grande amor.

Eu já perdi um grande amor. Ele também faleceu, mas não literalmente, é apenas uma metáfora horrível que uso para poder enterrar meus relacionamentos sem que sofra um luto. Mas continuo acreditando que o amor é teimoso, e ele quer porque quer entrar no meio, e infiltrar em nossas veias. O amor vai onde estamos, e ele dá um jeito de dizer entrelinhas que nos pegou novamente, e assim, chegamos aos setenta anos, colecionando amores e desamores.

Mas da mesma forma que lutei, eu também me corri. Fugi em círculos, mas sei que por mais que tente e me concentre em não pensar, o amor está lá. Querendo renascer de novo, depois de tumulto, solidão, e de ter encontrado bocas erradas. O amor reconhece o cheiro, as carícias, e os silêncios. Mesmo que fique enlouqueça e desapareça, ainda continua lá. Estagnado no peito. É como se a vida implorasse de novo pra ser feliz, mesmo que de novo desse merda.

Eu quero renascer em outro lugar, de novo. Porque vivo mudando e me adaptando, mas continuo acreditando no amor, apesar de toda loucura e sofrimento. Continuo acreditando na sintonia, empatia e todos “ias” que pode acontecer. A gente sofre, sangra, e lamenta, mas de uma forma ou outra, tudo se renova, recomeça e desconecta. Tá tudo bem recomeçar, tá tudo bem enlouquecer, e tá tudo bem sofrer por amor. Mas não tá tudo bem evitá-lo. É preciso sentir para estar viva. E é preciso se perder para continuar. 

Meu amor renasceu depois de tanto tempo adormecido. Espero não levar quarenta anos, espero não estar casada e morando na Rússia para poder ter coragem. Espero não sofrer, mas da mesma forma, espero que a vida não tenha medo de mim, porque eu não tenho mais medo dela. Nem dela, de você, meu amor. 




Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©