27 de dez de 2011

O último texto para o 365 dias sem ele


Finalmente irei parar por aqui. Não exatamente direi que é o final para o amor, porque sabemos que o amor nunca morre, apenas adormece. Apenas fica quietinho aqui dentro para que depois ele renasça em outra pessoa, com outros sonhos, com outros objetivos e até mesmo com outras frustrações. Fiquei na dúvida entre o que era melhor: Esquecer ou deletar para sempre. E eu resolvi apenas pular para uma nova etapa. A nova etapa que nem sei como vai ser, mas sei que torço para que seja tudo diferente daquilo que sempre deixei claro. Eu o vi pela última vez e foi num sonho.Mas acordei mais leve e talvez até mais tranquila porque finalmente o tempo passou. Finalmente não acordei com raiva e nem com saudade. Acordei como se fosse mais um dia normal e acabaria sendo mais normal ainda. Nenhum acontecimento magnífico e nenhum choro. Nem ao menos lembrei que havia sonhado com o indivíduo. Apenas segui em frente. E o mais incrível que possa ser: Segui em frente tão plena que pensei que poderia voar. Claro que não voei. Galinhas não voam. Mas aí entrei em contato com ele pela última vez, só para saber que estava certa de tudo aquilo que resolvi escolher. Ele ainda continua com uma namorada (Não vou dizer que ela é feia como sempre, mas vou dizer apenas que é estranha, só para não aparentar que eu ainda o amo) E não senti absolutamente nada. Entrei em contato só para dizer que havia sonhado com ele. E eu pouco me fodi para ele. E graças a Deus, ele pouco se fodeu para mim e para a merda do meu sonho.
Cheia de mim comecei a ver outros sonhos. Risquei os velhos, os que não serviam, ou até mesmo aqueles que só serviam para deixar meu coração confortável. Rasurei todos. Troquei os personagens. Se quero renovação é preciso fazer por onde. Então, me renovei. Cortei o cabelo, mudei o estilo das minhas roupas e peguei pesadíssimo na academia. Não queria que ele se arrependesse, até hoje não espero isso. Só quero que ele veja o quanto eu o amei. Eu o amei sim. E sempre me questiono por isso. Sempre fico me machucando com aquele silêncio de sempre, mas não é por querer. Eu apenas questiono muito, essa é a minha natureza. E ele sabia, sabia que tudo para mim teria que ter resposta e que nunca me conformei com aquilo que havia acontecido. Tudo deveria ter saído conforme aos meus planos. Eu sinto mais saudades daquilo que não tive realmente, daquilo que era confortável. Sinto mais saudades dos planos que tinha. Não sinto mais saudade dele. Só sei que estou bem. Estranhamente e absurdamente bem. Me isolei de todos os homens possíveis durante o mês passado. Queria ter toda certeza do mundo que estava pronta para ser de outro. Mas aí fiz a descoberta que pode mudar minha vida: Eu sei ser feliz sem ele. Isso mesmo. EU SEI SER FELIZ SEM ELE!
Não conseguia escrever quando havia felicidade. Não fui totalmente triste, nem totalmente feliz. Fui a metade de cada sentimento que poderia existir. Ele tem uma vida ótima, e longe de mim de querer me enfiar lá. Antes queria ser dele, mas sei que posso ser dos outros. Sei que não sou tão bonita quanto as outras, mas devo ter algo que os outros chamam de especial. Sei que tenho que me dar ao valor. Sei até mesmo que não devo me arrastar tanto. Aprendi tanta coisa que seria tão impossível escrever todas elas aqui. Não sou a única sofrendo, e garanto que você também não é. Há tantas meninas que passam todos os dias pelas mesmas coisas que passei. Sofremos, cantamos, e até mesmo gritamos. Mas estamos vivas, e precisamos dar valor a isso. Precisamos sair por essa porta que nos trancamos durante anos, somente para abalar. Somente para dizer ao mundo que estamos aqui. Não esperamos mais a felicidade e sim, vamos atrás dela, custe o que custar. E vamos chorar infinitamente, vamos sorrir e até mesmo seremos cínicas. Mas estamos vivas. Meu amor, estamos vivíssimas! Se for para chorar que seja na base do rímel à prova d'água. E que se for para sorrir que seja até rolar. E se for para encher a cara, que seja com classe.
E com um suave aperto no coração digo que não escreverei mais aqui. Guardarei tudo que aprendi, e quero que vocês guardem isso que disse. E ele foi um grande amor sim, mas haverá outros. Minha vida não acaba por aqui. Sei que vocês esperam que eu diga o nome dele. Eu não dizer. Sabe por quê? Porque ele é o ele de vocês. Ele daqui, é ele daí. E espero que você que me leia agora entenda: Você também é feliz sem ele.
Mesmo que isso seja difícil de aceitar, creia nisso. Creia com fé, com muita fé.
E pode apostar, estou aqui desse lado torcendo por você, por mim, e por todas aquelas que sofrem por um amor mal resolvido.




Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©