18 de dez de 2010

Ele não seria para mim.



Ele não é para mim, muita gente me diz isso. Logo reparam meu sofrimento e como me exponho muito acabo contando a história, detalhe por detalhe. E assim, me dizem num tom sério: Ele não merece você.
Por que não merece? Por que eu escrevo para a ausência? Por que eu tento ser isso? Não sei mais a resposta.  É um amor grande para uma vida curta. Sua ausência me fez falta, mas ao mesmo tempo não me deixa tão vazia, não me deixa tão superficial como antes.
Há várias chances para gostar de novos meninos, de novos lugares, só me falta à coragem para ir embora, e não voltar mais. Porque a época de reclamar da falta do seu amor, de jogar na cara, já foi. E me parece que cansei de amores platônicos, depois de tanto ir à luta atrás de você, estou cansando dia após dia. Não tenho mais forças, e não tenho também mais vontade de conquistar você. E sabe, não quero ser chata, nem ao menos insistir em alguém que consegue ser feliz sem estar comigo. Estou abrindo mão de muitas coisas, eu deixei muitas coisas. Resolvi não querer me apaixonar só para cuidar da gente, de repente, nossa história haveria mudanças melhores, haveria mudanças produtivas com certo final planejado. Mas não houve nada disso, houve entregas, mas não houve devolução. Eu fui, e não voltei. Eu fui e continuei, e vou continuando.
Continuei a te dizer coisas que jamais foram ditas, te disse em silêncio, todas às vezes que eu calei a boca do nada quando você falava, eu te dizia que queria que você lutasse por mim. Em silêncios, eu consegui dizer coisas que pensei que jamais conseguiria. Eu corri e ainda corro para tentar te alcançar, mas você consegue ser mais rápido, quando penso que finalmente consegui te alcançar, você me escapa.
Talvez, eu seja sim, para você e você seja para mim. Por sermos tão parecidos e eu sei que você ignorava o amor como eu também ignoro. Porque somos assim, somos feitos de um mesmo plano e talvez de um sonho. Por que não ser de um mesmo amor?
Quando me dizem o motivo da nossa ausência, da sua ausência é a mesma e eu não quero mais saber.  Cansei dessas histórias que eu inventei só para preencher-me coração com a sua ausência. Dizem que agora é paranóia. Mas e se for? Não tem mais jeito de sair dessa. O Amor tomou conta de tudo, de mim, dos textos, mas não tomou conta de você que conseguiu ir embora e não quis me levar junto. Você foi e eu não sei se você vai voltar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©