30 de dez de 2010

Coração entregue.



Uma xícara de café na mão esquerda. Uma pulseira de estrelas no braço direito para dar sorte. Sorriso superficial. Estou pronta para conseguir te deixar. Estou ensaiando frases há tanto tempo que agora, preciso escrever para me lembrar. São coisas a falar que eu não sei a sua reação. Não espero mais alguma reação sua. Não espero que você tenha alguma reação com isso tudo. Acho que não espero mais nada. Talvez, espero chegar à noite, deitar, e esperar que chegue o ano novo. Eu desejo o ano novo mais do que tudo nesse momento. Quero aprender coisas novas, quero até mesmo aprender a viver.
Tudo isso me faz falta. Você me faz falta, mas pude arrumar consolos por aí. Houve e há pessoas que conseguem ocupar seu lugar por alguns minutos, mas depois se vão, não ficam aqui comigo. Não suportam a minha carência ou o meu amor por você. Eles não conseguem entender o meu amor por você, na verdade, eu também não entendo o meu amor por você.
Vivo com a sensação de perda, de vazio, de loucura e não consigo tirar isso de mim. Minha vontade de te esperar é muito maior que a loucura, a perda, e o vazio. Não pode ser tudo em vão, eu não posso ser em vão, minha história não pode ser em vão. A xícara está com café ainda, mas ele esfriou. E eu me sinto assim, cheia de algo que acabou esfriando. Ou melhor, dizendo, cheia de amor que acabou apodrecendo. O sol está escurecendo, e a noite clareando. Dane-se, pensei. Eu espero que esse novo ano seja melhor.  Eu quero que eu e você fossemos guardados em um conto eterno. E talvez, você será meu e eu vou ser sua, assim, nada mais iria me abalar e seria para sempre. Mas eu não sei o que eu faço para chegar nesse lugar. Mal consigo sair do lugar onde estou. Mal sei continuar a seguir a minha vida, quem dirá seguir minha vida junto com você para um lugar que seria eterno. O mundo nosso ficou desigual e eu tento igualar, mas não tenho mais forças. Acho que estou cansando e isso não seria o ideal.
Olha, se você não quer ficar com o meu coração, me devolva. Alguém perdido por aí, talvez, um dia irá querer algo assim, e eu não posso fazer nada.  Já que meu coração foi entregue para você e nunca mais foi devolvido.
Ps: Mais um dia, sem você...E eu consegui sobreviver. 57 dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©