11 de jan de 2011

Oportunidades




Não há mais nada para ser esperado. Não tenho mais nada para planejar. Estico os braços, jogo meu cabelo para trás, minha coluna dá um leve estralo, fico normal de novo. É assim, depois de tudo que passei, foi isso que aconteceu exatamente isso. Aconteceu? O que aconteceu? Não. Não aconteceu nada. Mais uma vez consegui me trapacear e esqueci que tinha um novo objetivo, que seria apaixonar. Mas todas às vezes, que resolvo dar uma nova chance para o amor, invento algumas desculpas, creio em falsas verdades, e tento escapar. Todas às vezes que eu resolvo me apaixonar, me lembro do maior amor que eu senti em toda minha vida. E isso é vida?
Olha, o Thiago está me olhando. Mas ele é galinha, é bombado de academia, e não me dá moral no MSN. Ele me observa como se eu fosse um pedaço de carne em um açougue e ele um cachorro faminto. E isso não é nada Romântico, e eu tenho sonhado com ele. Seria sinal? Poderia ser. Isso não é amor, muito menos carinho.
Olha, o João querendo se aproximar de mim puxou assunto do meu blog, diz que eu escrevo bem, e essa situação é a pior de todas, sei que ele vai querer fazer parte do meu texto, então, vai querer ter alguma coisa comigo. Esquece o João, ele é lindo, tem suas piadinhas, mas no fundo, só quer ser um personagem.
Olha o Paulo. Ele é bonito, sorri de um jeito bonito, mas é arrogante. Esquece! Ele consegue me lembrar o menino dos meus sonhos. Não, se me apaixonar, ele conseguirá me fazer sofrer e eu não quero mais sofrer.
Percebe? Arrumamos desculpas para novas oportunidades, com medo de que a qualquer momento ele possa chegar e dizer que o amor não foi um erro. Que ele possa chegar e dizer que o amor não é tão dolorido como penso que é. Novas oportunidades conseguem chegar, mas o difícil é permanecer com essas oportunidades. Tudo bem, assumo, sou do contra. Se não querem, eu quero. Se ele não me quer, eu quero e muito. Mas e daí? Eu sinto amor do mesmo jeito.
Tentei ver aonde não tinha e mesmo assim, havia oportunidades nascendo, há oportunidades, mas não quero ir à luta e quebrar a cara de novo. Não quero tentar algo que já foi tentado milhares de vezes. E eu perco assim a esperança de querer ser melhor, de querer tentar ser alguém diferente e conseguir finalmente mudar a vida de alguém. Mas se eu consigo mudar, mudo para pior. Faço sofrer e reclamar. Não sei mais em que acreditar e muito menos, não sei o que falar. Para que acreditar na realidade se a mente te conforta?
Quero entender. Por que eu percebo que está ficando tarde demais? Está ficando tarde demais para escrever sobre faltas, amores e pedaços. Está ficando tarde, porque a vida está acontecendo do mesmo jeito. Estou parada, em frente a essa folha, mas sei que a vida está acontecendo. Vários casais se formando e terminando. Vários amores declarados. E alguém, pode estar pensando em mim. Mas quem? Não sei. Sim, há alguém, que talvez, pensa em mim todas as noites e eu não sei. Talvez, eu faço parte dos seus planos, talvez, sou a causadora de seus medos. Mas é uma oportunidade.
A grande oportunidade é sair por aquela porta, e te fechar para sempre. E aí, vão ter coragem de fechar alguém dentro de uma casa e nunca mais voltar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©