1 de jan de 2011

Ele é seu



Ele me disse coisas que eu jamais consegui esquecer. Me fez sorrir. Ele me sentir em paz, mas me tirou isso em alguns meses. Ele me trouxe a felicidade, o valor que tem uma amizade e um amor. E também conseguiu me tirar. E fiquei sozinha em um quarto branco, onde nada mais tem cor, nem mesmo a cor dos meus cabelos, ou a cor dos meus olhos. Eu fiquei com o barulho da sua risada na minha cabeça e o seu tom de voz. Fiquei com a expressão que ele tinha de sério, e quando ele dava um sorriso no canto. Foram as únicas vezes que o vi sorrir. Foi uma única vez que ele sorriu para mim. Ele se fez em meu sonho, em sonhos, ele conseguia me dizer coisas que jamais ninguém irá me dizer. Conseguiu algo que ninguém jamais conseguiu, ele me fez acreditar no amor de novo, e que sim, tudo na vida haveria um motivo. Foi isso que ele me ensinou.
Não sei o que ele tem, não sei o que ele quer, não sei nem ao menos o que ele sente. Não me faz te esquecer, não me faça negar um dia tudo que eu senti. Não me faça ser incapaz de sentir algo que explode e que só consigo respirar bem lento quando seu nome é pronunciado. Tire de mim o nó da minha garganta, afaste os meus medos, traga consigo seus sonhos para juntar com os meus. Eu só quero isso. Não! Sim Layla, já escreveu demais e não houve alternativa, abandone. Não!  Por quê? Eu quero amar de novo, eu quero ser nova, quero entender tudo que foi perdido. Não deixe que o outro me leve pra longe e te faça esquecer, juro que o que eu sinto é bonito, dramático e sincero. Ele que sempre foi o grande motivo para ficar pensando na vida e traçando sozinha com um lápis em forma de coração. Eu só sou uma menina e eu o amo. Por que ele não pode me amar? Me ame! Olhe, você sonhou comigo essa noite. E eu sonho em dizer isso. Por favor, eu preciso sair dessa. Eu preciso. Preciso. Me deixa ficar aqui te esperando nessa ruazinha escura? Posso ficar aqui durante anos se você quiser. Por que não durante décadas?  Me diz por que não pode ser como eu quero? Porque a vida não é só feita das suas escolhas. Tá, eu sei. Mas por que então eu não consigo me apaixonar? Não quero mais machucar ninguém. Não quero mais nem saber de amor. Olhe amor? Não existe.  Não existe? Se não é amor é o que? Comodismo? Seguro a imagem dele dentro do meu pensamento. O menino dos meus sonhos saiu dos meus sonhos e sinto vontade de abraçar ou de socar ele, só para ele aprender que não se podem perder pessoas que queira muito bem ele. Mas se ele quiser, eu o ajudo a me reconquistar.  Mas tudo isso é estupidez. Ele não me ama, ele não me quer por perto. Eu escrevo isso e finjo que acredito. Eu escrevo isso e choro por dentro. Eu escrevo isso e eu o amo mais ainda. Por não entender o motivo de mais nada, insisto. Por não saber na verdade o que me espera, eu quero. Por não saber se realmente um dia houve sentimentos, e eu o amo.
É seu, o lugar mais lindo que pode existir dentro de mim. É seu o coração, os textos, o meu mundo. Eu sou sua, seja o que for acontecer. Seja quem chegar. Seja quem sair. Tudo bem, já disse que era de tanta gente, mas nunca saiu tão sincero como agora, como de hoje. Então, guarde. Ele é seu.


Porque eu tenho o coração,
E as mãos amarelas e frias.
Com o coração quente
Mas às vezes distante
E às vezes impulsivo.
Mas bate.
Sentiu?
Toma, ele é seu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©