12 de jan de 2011

Existe algo por trás disso.


Queremos algo que cicatrize logo. Queremos algo que talvez não haja salvação ou escolha. Queremos o certo e o difícil só para no final dizer: Consegui. Queremos um homem que possa fazer tudo valer à pena. Queremos algo diferente para viver. Queremos que a dor passe o mais rápido.


Refiro no plural todas as alternativas, porque não é diferente para ninguém. No fundo, bem lá no fundo, todas as meninas são iguais. Todas querem o melhor, todas já choraram por amor e todas já acreditaram em promessas falsas. Prometi inúmeras vezes que não iria abandonar, mas por medo de ser deixada e ver meu orgulho ferido, consegui deixar. Mas no fundo, não foi deixado por completo. Ainda há muita coisa acontecendo. Era apenas dele que precisava. Mesmo com todos os defeitos, e era ele que queria por perto. Era ele que eu contaria meu dia, e ele contaria o seu. Era ele que mudaria a minha vida. Eu seria dele.  Tudo mudou. O tempo, o vento, o sol acabou e a chuva começou, e sempre me lembro daquele menino que um dia, eu desejei intensamente ter ele ao meu lado. Era ele, se não fosse, acabasse. Minha fidelidade com esse amor foi maior que qualquer coisa.
Minha vontade era clara. Meus sonhos eram proclamados para quem quisesse ouvir. E eu contava a história com facilidade e com um pouco de felicidade. Tudo que eu queria era apenas que ele pudesse me amar. Eu desejei tantas vezes. Em silêncio, pedi várias vezes que pudesse me ver, pudesse ver que é só capa, mas que por trás de tudo isso, eu sinto e muito.  Tenho medo de dormir porque tudo pode voltar ao normal. Tenho medo da vida agora, porque ela mais uma vez conseguiu mostrar que o mundo continua mesmo, eu querendo estar parada. A vida continua caos, e ainda sou cheia de cacos.
Não consigo ser inteira, não consigo ser falsa e fingir que está tudo bem, sendo que a podre dentro de mim é cada vez maior. Tenho a doença e tenho a cura comigo, mas quem disse que eu consigo por em prática? Não. Não consigo.
Meu orgulho foi ferido milhares de vezes. Pela primeira vez, em toda minha vida, fui deixada, e fiquei sozinha. Porque olho para o lado, vejo as pessoas rindo, tentando conquistar outras pessoas. E eu, não me movo. Não acho graça, não quero conquistar ninguém. No fundo, é medo de me perder. No fundo, eu ainda sinto tudo. Sabe o que é o pior disso tudo? Mais cedo ou mais tarde, vou ter que me libertar dessa solução que arrumei para tentar abafar a vida e seus amores malucos. Mais cedo ou mais tarde, eu vou ter que libertar o menino. O que eu senti não foi diferente. Mas eu quero que apareça logo a cicatriz. Não agüento mais viver com esse band-aids e que qualquer pessoa vem, e quer tocar na minha ferida para ver se ela realmente é real. Cicatrizes têm histórias. Você coloca a mão na sua cicatriz, e lembra a história, o motivo, se doeu ou não. E essa cicatriz minha não seria tão diferente. Me lembro daquele jeito dele. Sempre me lembro e sempre penso no quanto tudo poderia ser diferente, mas não foi. Me lembro e penso nele e nas meninas que ele tanto gostava. Pensei que iria ficar louca. Pensei que iria colocar as fotos dele em todo canto da minha casa. Pensei que finalmente tudo passaria.
Tenho a consciência que minha felicidade não está apenas nas mãos dele. Tenho a consciência que sei ser feliz sem ele. Todos os caras que vejo na rua têm um pouco dele. Todos os caras que se aproximam de mim, é ele. Mas olho de novo, e não é mais ele, é apenas um cara tentando se tornar importante e estou negando.
Ainda o espero. Ainda quero que ele veja que nem sempre foi ruim. Ainda penso que a qualquer dia ele chega, Mas tudo era tão intenso, e o tempo está passando, e eu estou passando junto. De todos os amores que eu já tive, esse foi o pior e o mais intenso. Esse conseguiu abalar todos que estavam em minha volta. Esse fez com que as pessoas sentissem dó. Parece que estou escrevendo algo errado, parece que já não quero me lembrar disso. Talvez seja isso. Talvez agora eu saiba como é se sentir uma mulher adulta. Talvez no fundo, virei adulta e não quero assumir isso. E a pior coisa é essa. Você sabe que está errada, e não quer assumir. Você sabe que no fundo, está errada. Você sabe que no fundo, é mera loucura. Mas algo me quer falar que é intuição, destino, futuro.
No fundo, tudo que eu quero é que a vida pare de jogar na minha cara que ele continua lindo, indiferente, e eu continuo estranha, sozinha e intensa. Só quero parar, cansei de correr em círculos. Há alguma coisa acontecendo por trás dessa história. Existe um motivo para isso. Mas não sei qual.

Queria te contar coisas sem importância, mas queria uma aproximação para que pudesse mostrar que tudo não é loucura, que existe algum motivo para eu estar aqui. Queria te mostrar que nada foi engano e o que eu senti, vou sentir de novo por outros, mas não quero. Ei, me salva?

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©