7 de jan de 2011

Diálogo .






- Sinto falta
- De que?
- De você. De mim. De pessoas. De tempos
- E do que você mais sente vontade?
- Tenho vontade de te ligar e dizer que você é um idiota. Que assim, você está só me perdendo e eu me vejo sendo obrigada a sair com outros meninos, e eu não quero isso.
- E eu gostei intensamente de você
- E o que adianta? Nunca vi esse amor. Não senti sua presença.
- Mas eu te amei
- E daí?
- E daí do que?
- Esquece.
- Como esquecer, menina?
- Esquecendo.
- Esquecer uma fase da minha vida.
- Exatamente
- Como?
- Nós nos perdemos em algum caminho, em alguma estrada, fomos em direção opostas. Não somos mais os mesmos e talvez, não queremos voltar atrás.
- É.
- Pensei que ficaria louca, menino, pensei que eu iria me matar, pensei até mesmo que a dor iria me vencer.
- Eu pensei em você, menina.
- O  que importa você ter pensado em mim e nessas merdas de memórias? O que me importa?
- Não sei.
- Todos os dias, pensei em você, todos os dias, tentei pelo menos falar o seu nome para que você pudesse sentir a mesma coisa que eu. E todo o dia guarde isso. TODOS os dias, eu te quis perto de mim.
E em um rápido movimento, sentia o menino desaparecendo na minha frente.
- Preciso ir.
- Eu acho que você já foi.
- É, eu também.
- Eu amo você. Daqui vinte, trinta anos, volto a te encontrar e vamos sentar e conversar.
- Vamos falar de um futuro que talvez, nunca irá chegar.
- Ou vamos falar de algo, que talvez aconteça.
- Sua bipolar.
- Seu ridículo de merda.
- E não faça ninguém sofrer.
- E não faça ninguém pegar o meu lugar
- Tudo bem.
E em um sussurro pude notar. Seus lábios faziam um leve movimento e eu pude entender.
- Eu amo você, menina.
- Eu sinto sua falta. Até daqui vinte anos.

E ele se foi, e ela ficou. E está lá, naquele mesmo lugar, esperando que as duas décadas cheguem e que ela irá poder dizer tudo que sempre quis. Ela irá dizer que em todo esse tempo, ela só conseguiu perceber, uma única coisa. Ela percebeu a falta dele.
Mas algo a interrompeu. A menina acordou desesperada com o barulho do despertador. Que pena! Foi só um sonho. E ela sabe, que algum lugar, ele também está esperando por ela. Mas só falta alguma coisa acontecer, e isso, a menina, entregou para o tempo, para que ele pudesse fazer o melhor para aqueles dois.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©