15 de jan de 2011

Não vem?

 Para ler ao som de Vento no litoral - Legião Urbana

 Sei que faço isso pra esquecer, eu deixo a onda me acertar & o vento vai levando tudo embora...Agora está tão longe ver a linha do horizonte me distrai, dos nossos planos é que tenho mais saudade; Quando olhávamos juntos na mesma direção, aonde está você agora, além de aqui, dentro de mim?


Me arrependo de certas coisas que conquistei, antes se não tivesse chegado por perto. Hoje, sábado, e eu em casa. Mais triste ainda é o pensamento descontrolado que não sabe sossegar. Pego meu celular, olho para ele, e penso que queria ter forçar para poder ligar, esqueço essa história, encontro o nome dele na minha agenda, e quando vou apertar a tecla para chamar, não consigo. E toda às vezes é isso. E para que vou te ligar? Pra você contar que sua vida amorosa está luxo e a minha está um lixo? Não mesmo. Evito. Te evito até quando puder.
Tento escrever esse texto mais leve, mas talvez seja só o meu novo corte de cabelo com a nova cor, talvez. Porque no fundo, sou a mesma. Depois de dez, vinte anos, também serei a mesma.
Sinto esse amor que me consome todos os dias, e por que tenho a impressão que você está me esperando? É sério, preciso parar de ver coisas aonde não existem. Se não existe amor, ótimo, acabou. Mas não, consigo encontrar detalhes e quero crer neles. Consigo achar pedaços de minha história aonde quero. E isso é tão confuso. Não quero mais isso. Estou perdida e me sinto como tal. Não sei se devo continuar ou se devo parar por aqui e acabar com essa estupidez de você não me amar e eu, aqui, sofrendo. Não sei, tenho medo de acordar. Tenho medo de dormir. Tenho muito medo, apenas o que consigo dizer.
Se eu for para frente, encontrei uma nova vida. Se ficar, a dor me consome. Se voltar, encontro ele perdido nas linhas, nas palavras, nos meus gestos. Todo esse tempo, ele estava presente.
Todo esse tempo, ele estava comigo. Em todos os meus relacionamentos depois que eu o conheci, eu o via naqueles detalhes, naqueles olhares, nos abraços e nos beijos. Eu o vi nesse tempo todo. E isso foi à pior coisa que poderia acontecer. Essas entregas sem devoluções só acabaram comigo, só fizeram com que eu ficasse cada vez mais descrente de amor ou qualquer sentimento bonitinho que pode existir nesse mundo que não agüento mais correr e ficar no mesmo lugar de sempre.
Guardo alguma coisa dentro de mim que não sei o nome, mas conheço a sensação. A sensação de ser esquecida em um conto antigo, feio e rabiscada não é a melhor, mas também não é a pior, porque sou conto, e assim, serei eterna nas linhas. Serei um dia lembrada por ele, serei lembrada um dia por vocês que consegue me entender. Pessoas chegando e indo embora da minha vida, e você lá, feito uma estátua. Pessoas vão embora e você ainda está aqui. Tudo aconteceu rápido, e eu fiquei sem entender.
Quando me dizem que não comento mais sobre você, só consigo rir... Mas não é porque está engraçado, é porque só consigo enganar a mim mesmo, no fundo, sinto pena de mim e desse mundo que é vazio sem a sua presença. Não escrevo querendo que você volte, porque sei que isso é impossível, mas escrevo para lembrar que essa dor um dia vai acabar e eu vou poder te dizer o que sempre quis, e chegará à vez que você também irá falar, mas tenho medo das tuas palavras. Elas sempre foram tão confusas para mim, pouco entendi suas frases e seus sinais. Se é que havia sinais, não é?
Tem alguns detalhes que não esqueço. Detalhes sem importância, detalhes estranhos, mas que guardo como se fosse à prova que você realmente existiu dentro de mim. A grande prova disso tudo é o coração, que é remendado com retalhos antigos. A única coisa que posso dizer hoje, é que gosto bastante de você, e que você está sempre em meus sonhos pelas metades. Você sim é o meu grande sonho. Mas o que eu posso fazer para te tirar desse sonho e te trazer para minha realidade?
Me dê dicas, antes que seja tarde demais. E tenho medo dessas duas palavras que mudam a vida de qualquer um para sempre: Tarde demais. 
Enquanto você não vem, tento deixar tudo do modo que você gostaria que estivesse. Tento deixar cada parte dessa história um pouco do seu jeito e dos seus detalhes. Enquanto você não vem, escrevo e leio. Tento encontrar cada frase para que possa encontrar um jeito diferente de poder dizer que sinto sua falta.
E cheguei ao fim de mais um dia. E continuo bem. Mas poderia estar melhor. Poderia, estaria. Não importa.
E você? Não vem?

Vai ser difícil sem você, porque você está comigo o tempo todo, e quando eu vejo o mar, existe algo que diz: Que a vida continua, e se entregar é uma bobagem. Já que você não está aqui, o que eu posso fazer é cuidar de mim. Quero ser feliz ao menos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©