16 de jan de 2011

O drama e a dramática.



Assumi todos os meus medos e os meus grandes defeitos. Assumi que talvez, um dia, volte ao normal, mas não consigo assumir se acredito ou não no amor. Tudo isso me cansa e me consome muito. Pude fazer que acreditassem em mim quando falei que o amor seria escolhas da vida e não as nossas. Digo que não creio no amor, mas eu amo, e aí, o que se pode  fazer? Nada. Não se pode fazer mais absolutamente nada.
Quis você para estar perto de mim, para que eu possa conseguir enfrentar os dias que parecem pesados demais, porque tenho apenas dezessete anos e sei infelizmente o poder que as palavras exercem. Cuidado com as palavras mal faladas, elas machucam mais que o normal. Por isso, preste sempre atenção no que você for dizer, para não machucar as pessoas mais importantes de sua vida.
É isso, apenas isso. Sempre tive medo de deixar para depois ser deixada. Sempre tive um medo bem filha da puta mesmo. Sempre tive e sempre vou ter. Tenho medo do destino, do futuro, de horóscopos, de ser sozinha para sempre. Pessoas como eu não nasceram para ficarem sozinha, mesmo assim, são abandonadas, são deixadas para trás como uma boneca que tanto gostou e tanto brincou, mas você deixou para trás. Foi difícil falar a palavra acabou, sendo que nós nunca começamos algo, nunca fomos algo, nunca tentamos ser algo que fosse realmente valer a pena.
Eu sei, sou o drama em pessoa, e consigo isso sozinha, aliás, sempre me admirei por isso, por exagerar, aumentar, ou até mesmo diminuir. Se eu amo, eu amo muito mais, eu quero muito mais, eu preciso mais dele do que qualquer outra coisa. Sou exagerada, dramática, intensa e vulnerável. Não sei amar pouco, não sei ser simples, não sei não-me-importar-com-a-sua-falta.  Você pode achar que é drama, exagero, falta do que fazer, mas essa é a verdade. Eu sinto a sua falta.
Nunca falei tão claramente sobre o que sentia, e não me expressei bem. É exatamente isso, acordo e tento fazer algo novo para não cair na rotina e para não me lembrar de você. Tento ser quem eu era antes de te conhecer, porque assim pareço exatamente o que sempre quis ser: Fechada, propositalmente fechada. Quando você apareceu tudo estava em ruínas, estava sem esperança de querer começar algo novo dolorido, porque logo no início entendi o que a vida queria de mim naquele momento.
Você conseguiu a me ajudar a mudar tudo aquilo, toda a impressão de menina-sozinha-acabada-derrotada havia passado, e eu era outra, outra totalmente estranha naquele mundo. Mas hoje, não seria o ideal ficar me recordando do passado, mas é que em dias assim, você me faz muita falta. E eu nunca pensei que alguém como você fosse fazer tanta falta para alguém assim como eu. Não quero dizer isso com a vontade de querer diminuir os fatos ou aumentá-los. Digo isso, com o coração aberto, e eu sei que posso dizer isso e direi quantas vezes for necessário. Quantas vezes serão necessárias para falar que gosto de você, para o destino te mandar de volta para mim? Milhares? Bilhões de vezes?
Lembre-se disso mesmo que se for te incomodar hoje ou nos próximos dias, estarei aqui quando quiser voltar, porque é isso que os amores verdadeiros fazem, eles simplesmente ficam. Mas se o que eu sinto não for verdadeiro, apenas guarde isso, me guarde na tua memória, me veja como um amor ou como um drama, não importa. Quero apenas ficar na sua memória para o resto de sua vida.
Só queria ser o que você é para mim. Só queria ocupar em você um dos lugares mais bonitos que poderia existir. Só queria poder dizer que tudo isso não é apenas um drama. Só queria que você soubesse isso, mas sei que você sabe, então, o meu papel eu pude fazer. E o seu? Qual seria o seu papel nessa história?
Deixei que pudesse me ver de verdade, que pudesse ver que sim, eu sou real. Deixei conhecer a parte mais bonita que existe em mim. Deixei você existir para sempre dentro de mim.

" Baseado num estudo psicológico, paixão dura no máximo 4 meses. Se isto excede, parabéns, você está oficialmente amando. "  - Posso me desesperar agora? Tudo bem, tudo é drama, sou a  dramática, dessa história mas do mesmo jeito, continuo gostando da mesma forma de você com ou sem drama.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©