30 de jan de 2011

Cansada




Estou exausta. Estou cansada de te ver em todos os lugares, mas você não está lá, são apenas coisas da minha cabeça. Estou cansada de querer tanto quem já não se importa. Estou cansada pela falta de paciência, pela falta de sonhos e de sono. Estou esgotada de esperar um sinal de vida sabendo que a poderá está morta ou não. Estou tão cansada que seria capaz de hoje abandonar tudo e me apaixonar por outra pessoa medonha e estranha. Estou cansada, mas não quero te abandonar por medo de você voltar e eu já não estaria mais aqui.
Quando olho sua foto a única coisa que vem em mente que pude te amar até quando não queria mais. Quando olho a foto a única coisa que consigo pensar é no quão eu cheguei a gostar de você, o quão eu te via em pequenos detalhes, o quão queria ter ele para sempre perto de mim.
Queria me apaixonar, e quando digo isso, digo com o coração aberto e sem nenhum arrependimento futuro.  Desejava me apaixonar, mas sei que o meu encantamento durará apenas poucas horas. O encanto acaba, e comigo, consegue acabar mais rápido ainda. Estou exausta de entregas e as poucas devoluções que tive. Não queria ser assim, não queria ter enfrentado tanta coisa por você, não queria nem ao menos ter chegado aqui.
Se pudesse escolher, talvez jamais me deixasse levar por um amor ridículo. Se pudesse escolher jamais teria entrado nesse trem sem destino concreto. Porque gosto de coisas certas, e pela primeira vez acreditei em falsas falas, ou até mesmo acreditei no meu sexto sentido que nunca me informou de coisas boas. E dessa vez, estaria certa, o meu sexto sentido não me informou de nada, a única coisa que era prevista seria o fim.
Chorei mesmo, me entreguei mesmo, mas talvez, pude ser feliz nos poucos momentos que sobrou entre o amor e a dor. Pude acreditar em várias coisas que já nem me lembrava mais que existiam. Pude desejar felicidades para os outros, pude tentar mudar o meu destino de novo. Mas possui algo atrás disso tudo, sou acomodada, tenho medo de coisas novas, tenho medo do novo, do inexperiente. São só alguns medinhos bobos, porque se for para enfrentar, consigo enfrentar.
Mais cedo ou mais tarde você lembrará o quanto eu lutei por isso, o quanto foi sofrível, mas ao mesmo tempo divertido. Sinto falta, mas talvez já acostumasse com a ausência dele. Já acostumei com essa história de deixar e ser deixada. Não me importo, mas às vezes realmente queria me apaixonar, de verdade. Às vezes, me dá vontade de me entregar e torcer para que eu não seja usada.
Não peço para que você possa voltar. Não peço nada que não seja apenas que se lembre de mim de vez em quando, como algo bom, ou dolorido, não sei. Mas se lembre que aqui, estarei. Mas se lembre que às vezes, a realidade me confunde e me faz acreditar que talvez sim, talvez sim, ficarei ligada a você até Deus sabe lá quando.  Não posso te julgar, nunca soube o que sentiu. Não posso te pedir pra você voltar, porque nunca foi embora realmente. Alguém precisa a controlar os meus pensamentos porque não dou mais conta deles.
Não sei por onde você anda. Não sei quem é a garota que você ama. Não sei nem ao menos se ainda continua com os mesmos planos de antigamente. Não sei se você faz alguém feliz ou se fez alguém sofrer. Mas hoje, hoje eu sei que se eu pudesse te esperaria. Hoje, eu sei que se pudesse, guardaria por um bom tempo o seu lugar meu lado. Mas como sei que não posso, sei que a vida precisar seguir em frente, deixo guardado isso. Deixo aqui, para você um dia ler e poder entender, que se tudo mudar terá uma segunda chance. Deixo aqui cada pedaço meu retratado como se pudesse entender a falta que você me fez, e que hoje, consigo levar isso um pouco melhor. Estou cansada de te procurar em coisas sem sentido. Estou cansada de sua ausência. 
Contento-me a escrever só para te deixar vivo cada dia a mais dentro dos meus sonho, mesmo você pedindo para morrer todos os dias dentro de mim. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©