3 de mai de 2011

Para você essa carta, Amado.




Alfenas, três de maio de 2011.
                       
                                         Amado,

Estou lhe escrevendo essa carta para se lembrar um pouco de mim, para querer voltar a ser feliz, e até mesmo voltar a causar o tumulto que sempre aconteceu. Estou lhe escrevendo para que saiba que estou te querendo bem, não aquele amor carnal, mas um amor levinho, de desejar o seu bem constantemente. Estou me conformando que não sou mulher para você, e estou querendo aceitar isso cada vez mais. Não ando chorando ou reclamando de sua ausência, não ando contando nossa história, mas penso em você. Não há para quem contar a nossa história, não quero ser vista como louca e por isso, até mesmo finjo que não sou escritora. Eu, escritora? Magina. O amor ainda continua aqui comigo, existe amor ainda entre mim e esses textos, mas é preciso deixá-lo para lá. Não dá para te amar e viver ao mesmo tempo. E eu preciso viver, chegou a hora de viver. Cada vez mais te sinto longe, distante, e quieto, e isso não me agrada e você sempre soube. Cada vez mais tento escrever sobre você mas o máximo que consigo dizer é que você foi o amor maior que já senti até agora. Isso não me deixa triste, te amar nunca foi um fato para me deixar depressiva. O que me entristece é ter visto o que não havia para se ver, entende? Você não me amava, e mesmo assim eu acreditava que sim, que você me amava intensamente, e me queria por perto. Mal sabia eu que era apenas uma dessas meninas que são impossíveis e por isso, podem ser usadas.
Estou lhe escrevendo porque já não sei onde você está. Estou lhe escrevendo porque sinto um vazio terrível dentro de mim e não há para quem contar. Ando me sentindo sozinha, invisível, e não quero ser melhor, quero ficar quieta, apenas isso. Sabe Amado, há tantas possibilidades de ser feliz, tem tantos meninos chegando e indo na minha vida, mas só consigo pensar coisas negativas sobre isso. Penso que eu sou objeto e assim, posso ser usada. Tem sim, tem um menino que me tira a razão mas ele acaba sendo impossível para mim, e assim, de impossível para impossível, prefiro você. Não te trocaria por um cara mais impossível que você, mas ele não é tão impossível assim, ele só é um cara fechado. Sim, ele é bonitinho, tem um piercing igual o meu, e tem um jeito de olhar lindo, mas quando percebi que eu o amo, logo esqueço. E assim, minha vida segue. Não tenho grandes amores, alguns miudinhos, sem graças e sem brilho.
E você Amado? Como anda? Ainda gosta de se divertir as sextas e sábados? Ainda confunde letras de músicas? Esperei que você viesse me procurar mas você não veio. Você já não fala comigo, e isso me deixa tão tristinha. Você não me conta suas histórias e suas diversões, e isso me faz me sentir mais incompleta do que já sou. Amado, você já não está ligado a mim, e isso me faz sentir tão mal.
Não quero me imaginar sem você mas chega uma hora que isso é tão impossível. Te amar sempre foi a melhor coisa que eu tinha que fazer, e hoje, substituo esse amor por simples livros e textos. Acabou esse amor incondicional, mas eu ainda gosto muito de você. Vai fazer anos que tudo começou e mesmo assim há uma pontinha de esperança dentro de mim que você me procure e diga que sim, que sou o seu mundo. Um ano logo se completará, e parece que o tempo está andando tão rápido, é como se nós dois não existíssemos, é como se nós dois virássemos lendas. Pouca gente soube de nós, e assim, não aceitei, a dor era enorme demais para caber só em mim, e assim, quis que o mundo se emocionasse com a minha dor. A dor que deu certo, a dor que não fez você voltar. Tudo isso me pesa, sinto-me cansada e acabo sem querer desistindo de nós. Aos poucos, nós somos apagados, e as barreiras que nos separam são cada vez maiores. Logo faço dezoito anos, e você me conheceu quando tinha quinze. Logo, você faz dezenove. Logo, chegaremos nos vinte, trinta, quarenta anos. Não sei você, mas vou olhar para trás e sentir saudade. Vou olhar para trás e torcer para que um dia te encontre por aí, vou torcer para que os meus filhos sejam amigos dos seus e assim, haveria uma aproximação. Vou torcer para te encontrar, porque o sentido da minha vida se torna isso. Vou viajando para que eu possa te encontrar sem nenhum compromisso ou até mesmo sem nenhum rancor.
Estou terminando essa carta com um nó atolado na minha garganta, sabendo que é totalmente verdadeiro. Você está se afastando e sendo ser feliz, e eu estou me afastando mas sinto uma saudade, um vazio, uma coisa atolada dentro de mim que precisa se libertar. Não sei o que será de nós, não sei o que vamos nos tornar nesses próximos dias, meses e anos. Me sinto melhor escrevendo abertamente para você. Me sinto mais aliviada em poder te contar isso sem esperar qualquer reação sua. O dia está terminando e os meus sonhos também.
Não quero que se sinta triste com isso, não quero que o meu vazio te afete. Quero que entenda que quero seu bem, e desejo isso verdadeiramente. Se não sou eu que posso te fazer feliz, que seja outra. Mas eu queria que fosse eu, e você sabe. Afetar o seu silêncio é difícil, mas por mais que eu faça tumulto, você sempre preferiu o silêncio, e tenho medo de estar sendo cansativa e decorativa. Sou a favor da verdade, e por mais que eu te ame, por mais que eu queira você por perto, desisto de você. Desisto dos meus sonhos, e do meu amor. Meu amor está sendo acalmado, aquietado, para que quando possa retornar, ele renascerá. Não pode desperdiçar o amor. Estou cansada de lutar, quero me deitar e esquecer um pouco. Então, é isso.
                                                Um grande beijo, amado.

Para sempre sua, ou não tão sempre, ou não tão sua - Layla Péres. 

Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. noooossa muito bom... eu me vi escrevendo essa carta!! :f

    ResponderExcluir
  2. hun, pareceu com a min ha história lindooooo....
    é tão bom falar de amor... eitha lelê!

    ResponderExcluir


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©