26 de fev de 2011

O passado e o seu futuro



Passei por coisas terríveis nesse meio tempo, mas não me lembro dessas coisas terríveis que te digo. Não há nada que te faça voltar, não é? Não há nada que exista aqui que irá te segurar. Hoje, estou aliviada, e um pouco de alívio me trás a loucura. Tudo se acabou, e eu me acabei pensando que tudo seria diferente. Você só fez parte de um passado que tenho dificuldade de deixar para trás, e seguir. Você sempre foi o meu preferido.  E se fosse para poder anular, não anularia.
É verdade meu bem, não sei nem ao menos por onde você está, não sei nem ao menos se ainda fazem as meninas caírem em seus pés. True... Não sei e tenho raiva de quem sabe.
Esse é o mistério, são dezenas de dias sem você e ainda não sofri nenhuma dor forte em alto potencial. Vai ver que acabei me acostumando com algo que sempre estava presente, mas pensando bem, você sempre foi ausência.
Quando você se foi, realmente, pensei que desistira de você, de nós, da vida. Não que eu tenha a mesma força de antes ou a mesma fé, mas ainda minha vida continua igual. Mas a única diferença é que agora não tenho mais ninguém para poder compartilhar os meus dramas e os meus medos.
Não tenho mais a quem contar os meus planos ou dos meus quase-amores que existiam por aí. Não tenho mais ninguém que me ligue no meio da noite para apenas dizer um singelo oi e depois, desligaria e eu dormiria em paz. Era de você que precisei nesse tempo, essa é a verdade.
Não dependo de você para existir, muito menos, não vivo sem você. Eu vivo sem você, sobrevivo, canto, crio, dou sorrisos e até entrego minha alma para esses que logo chegam e que logo vão embora à maior velocidade. Precisaria ser você naqueles dias chatos e nostálgicos, precisaria ser você para estar ao meu lado seja lá de qual maneira. Mas tinha que ser você, tinha.
Tudo continua exatamente igual, mas parece que já não mais mesma que foi abandonada. Colocando os pingos nos is, vamos ver sinceros, não houve abandono, não houve mesmo. Foi só uma maluquice criada para tentar me acostumar com sua ausência que me torturou, é saudade apenas.
Não sei mais se é amor, não sei se é mais emoção ou comoção. Não sei mais de nada. Só sei que dói às vezes, mas logo passa, mas de novo, dói. Uma dorzinha verdadeira mas no fundo, não precisamos nos lembrar dessa dor. Meus machucados não são visíveis, eu sangro por dentro.  Sangro e não há nada que cure, nada que salve, nada que me faça parar.
Acho mesmo que sou masoquista, acho mesmo que me quero ver sangrar a última gota, acho que existe uma pessoazinha dentro de mim que torce muito para que eu me dê por vencida e que acabe logo essa história.
Eu sei que estou me acabando cada vez mais. Sei que estou acreditando no inacreditável, e que estou ressuscitando algo que está morto há tanto tempo. Minha grande mania de cortar laços com todos, gosto dessa sensação de estar sempre à procura. Minha mania de afastar quem só me quis bem e quem só me desejou o melhor. Mas agora é tarde para ficar pensando nos erros. Quero te lembrar o quão importante você foi para ser o que sou hoje. Não estou pior, estou tão normal, mas quero te lembrar o quão eu tentei fazer você gostar do meu jeito. O quão lindo eu te via. Quaisquer sentimentos que poderiam existir seria uma dádiva, uma audácia, uma vontade. Quaisquer rapazes que chegavam perto, eu me afastava e me afasto ainda por medo que qualquer um deles me faça acreditar que você era apenas o que queria ver, que sua personalidade vai muito mais do que esse endeusamento que criei para vencer os meus dias tristes.
Se lembre de mim, lembre-se das noites, das risadas e se eu cheguei a ser importante para você. Implorei tanto que você pudesse me amar que esqueci me implorar a gostar de quem sou. Esqueci de me amar por medo que meu ego te afetaria. E olhe o que virei. Uma pessoa apenas no meio de tantas pessoas diferentes e alegres.
Queria tanto me acostumar em te ver só no meu passado, acomodado, quietinho. Mas não, não consigo. Não quero te ver só lá atrás, não quero voltar no tempo.
Não sei retratar a sua existência no passado. Não me acostumei em te ver somente naqueles anos atrás. Quero te trazer para o meu presente e se fosse possível para o meu futuro. Me quero de volta, te quero de volta. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©