30 de abr de 2011

Enfrentar




Não é fácil recomeçar. Não é fácil terminar. Menino, você não passa disso, um dia sim, um dia você vai crescer, vai se formar, vai casar, vai morrer, e acabou. Nossa história também vai se acabar, e por isso, queria que você prestasse atenção uma vez em mim. Queria que você chegasse, mas é tanta mágoa dentro de mim que seria impossível conversar. Eu nunca vou afetar sua vida porque sou impossível para você, sou chata demais, implicante demais, carente demais, e você não suporta pessoas assim. Nunca fiz parte dos meus planos, e isso me deixa assustada, porque você se resumia nisso, você era os meus planos. Planos bobos, alguns maluquinhos, outros bonitos, e eu lutei, sei que lutei.  Enfrentei essa dor de frente e entendi o que havia de errado dela. Não fugi, enfrentei. Lutei para que ela passasse, e acho que finalmente ela sumiu. É como se uma fosse uma ferida recém cicatrizada. Mas todas as vezes que eu por a mão nessa cicatriz irei me recordar de tudo que passei, e ficarei triste novamente.
Não queria que tudo acabasse dessa forma. Tudo se acabou de uma maneira tão horrível. Sem nenhum toque ou presença percebível. Sem nenhum telefonema dizendo que estaria me deixando ou sem nenhuma carta que pudesse dizer que sempre fui o que te faltava. Mas vou ser direta, ter uma resposta sua seria voltar de novo, seria amar novamente tudo que um dia foi esnobado, e eu prefiro manter afastada. E está sendo fácil viver sem memórias, está sendo fácil não me lembrar do seu desprezo ou da sua arrogância.
Mas seria mais fácil se você estivesse do meu lado, e se for impossível para você, desculpe. Não quero te relembrar nada, mas quero que guarde o que for verdadeiro. Não quero saber se você procura outras, e se as outras são quase iguais a mim, seja o corte de cabelo, a data de nascimento ou até mesmo os defeitos. Não quero que me use como desculpa, quero te ver feliz, mesmo que isso me doa. Quero que alcance o que sempre quis, e quero se lembre, alguém perdida por aí torce por sua felicidade. Essa é a hora que se abandona tudo? Essa é a hora que você vai ou fica?
Queria que você pudesse ter visto o que realmente fui. Fui a apaixonada e carente. Mas nada disso importaria se você realmente tivesse gostado de mim. Por você não ter me amado, tudo isso me fez ver de uma maneira solitária demais, criativa demais, e cansativa demais. Depois de tanto tempo, finalmente vejo que cansei. Estou entregando os pontos, porque eu sei que as vezes nem tudo se pode ter. Mas era bom sonhar com você. Era bom imaginar sua reação ao me vez ou até mesmo ao me ouvir. Meu Deus, era bom, mas acabou. Era lindo, você era lindo, e tudo isso fazia com que a minha volta se tornasse lindo. E depois, tudo se tornou feio. Você se tornou feio, o céu ficou feio, eu fiquei feia. Vocês podem estar me achando uma babaca agora mas a história é minha, e isso se torna interessante. Porque encarar uma dor, um problema de frente são para as poucas. E hoje, consigo ver tudo de frente. Olho no olho, sorriso aberto e coração sereno, assim estou. Não quero desejar o impossível, só quero um cantinho que me faça sentir segura. Não quero um príncipe, eu quero você, e isso vou continuar desejando até que outro apareça e me faça sentir o que é realmente se tornar adulta. Sem cobranças ou saudade, sem insanidade ou exagero. Quero que o dia seja claro, quero sorrisos sinceros e abraços calorosos. Chega de dias nublados, de sorrisos superficiais e abraços vazios. Quero sua volta mas só se houver felicidade. Quero enfrentar, quero lutar, quero viver. Sem medo ou medo da malícia. Sem prepotência. E quero que deseje isso também. E enfrento sem medo, enfrento porque é a única alternativa que me restou. E que se dane o resto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©