3 de abr de 2011

Aceitação.


Mesmo querendo ficar quietinha, encolhida, desaparecida, tive que enfrentar o mundo, e aceitei os fatos, ele não me quer por perto. E agora? O que eu faço? Choro, grito ou ameaço? Não, eu não faço nada. Fico quieta, apenas quieta. O mundo pode falar por mim, os bêbados podem falar por mim, mas eu não falo. Nenhuma palavra, e assim foi feito
Cada vez mais sinto que está na hora de abandonar, e seguir. Foi lindo, mas preciso seguir em frente. Foi tão sutil e ao mesmo tempo tão fofo, mas eu preciso seguir, sem dramas, sem reclamar, apenas aceitar que acabou.  E ninguém precisa ficar ouvindo minhas reclamações. Mas acabou, é isso. Ele está feliz, e deixa então. Para viver o que sempre quis era preciso deixá-lo. Para que ele possa ser feliz, era preciso libertá-lo, sem choro, sem drama, sem qualquer coisa. É preciso me libertar dessas lembranças mesmo não querendo.
Eu disse que não iria falar mais nada, e assim foi feito. Não totalmente, mas foi feito. Não queria mais que o mundo sentisse dó de mim pelo amor que sentia. Então, calei a boca. Deixe que o mundo fale por mim, deixem que os bêbados cantem, os fumantes dancem. Deixe o mundo fazer o que quiser, porque agora estou calada, estou muito na minha e não quero nem saber de mais nada, nem mesmo dele.
Cheguei a ir à festa somente para procurar pistas, lugares, imaginando, querendo, que ele estivesse lá. Ontem, fui numa festa, e dessa vez, não tive tempo de ficar pensando nele, mal me lembrei de sua existência. Fui me lembrar quando cheguei a casa, quando dei de cara com o meu computador que me lembrou que precisaria escrever. E consegui ser feliz sem me esforçar.
Ele não me quer? Tudo bem, aceito os fatos.  Vou aceitar tudo que aconteceu. Aconteceu e fim. Estou querendo ser o que eu nunca fui. Estou querendo mudar, e viver situações novas. Como vou saber se ele vai voltar, sendo que eu não faço nada? Algum caminho que devo andar irá me mostrar algo bom, eu acredito nisso. Se cheguei até agora não vou desistir. Não quero abafar o caso, não quero nada. Só quero libertá-lo. Só quero me libertar mesmo querendo ficar tão presa nele. Esse menino me despreza e não quer nem me contar se está sofrendo.
Sei que mereço viver situações melhores. Conhecer gente nova. Querer não me dar mal. Sonhar. Criar, não sei. Mesmo querendo desistir da vida, do mundo, dos amores. Tive que colocar um sorriso em meu rosto e enfrentar o que viesse pela frente, ninguém queria saber se eu estava ou não magoada, a vida não quer saber se eu estou ou não feliz, ela coloca desafios na frente. Às vezes, pode até mesmo a pessoa se machucar duas vezes com situações diferentes. O coração pode partir para sempre e nunca mais voltará ao normal. Amasse uma folha sufite com forte, amasse bem,  depois a estique novamente. Ela está como você a encontrou? Não. Não está nada no lugar.
Só quero que ele seja feliz com a vida, pessoas, situações que escolheu. É uma pena que eu não esteja mais nos seus planos. É uma grande pena. Mas a vida é assim, ele escolheu viver longe, e eu tive uma única escolha. Eu tive que aceitar, tive que sofrer, apanhar da vida com a falta que ele me fez no início, eu só tive que aceitar ir embora de vez.
Não tenho mágoa, não tenho raiva, não sinto nada em relação a ele. Sei que só quero desejar que ele fique bem, e que se fosse possível, eu o protegeria de todas as dores. Mas não faço mais parte de sua vida, perdi esse direito. Então, foda-se. Ele merece ser feliz.
Para viver é preciso esquecer as lembranças, os abraços e os sorrisos. Para viver em paz, é preciso esquecer que um dia houve eu e ele. Para viver é preciso seguir em frente. Aceite os fatos, e coloque um sorriso em seu rosto.  E agora, eu vou embora da vida dele, como sempre fui mas sempre voltei. Agora, vou escolher o que é melhor para mim. Chega de maltratar, está na hora de ser feliz, está na hora de querer ser melhor em tudo. Chegou a hora de mudar.
Foi a melhor coisa que poderia ter acontecido comigo. Ele foi lindo. Cresce Layla. Cresce. Mas chega uma hora que ele já não quer mais saber de mim, e eu não quero me tornar uma pessoa frustrada  Não quero que ele saiba de como foi difícil me desapegar, de esquecer, de partir. Só quero que ele entenda que eu pude amar ele como jamais tinha amado alguém. Eu o amei, amei muito.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©