2 de mar de 2011

O que hoje ninguém vê




Eu olho para essa folha que está em branco e sei que há coisas que jamais deveriam ser descritas aqui. Mas sou exposta e quero mostra tudo e ainda com os mínimos detalhes. Mas ao mesmo tempo sei ser tão fechada que mal conseguem se infiltrar nesse mundo que crio dia após dia. Não é medo, não é nada, é apenas minha personalidade que resolve ser inconstante.

Você foi muito mais que um conto fechado, você é o meu livro aberto que nunca consigo fechá-lo. Você é o que eu escrevo, o que eu falo e o verso mais ridículo que posso pensar para escrever. Você é o que eu canto, o que eu choro, e o que eu penso nas minhas aulas matinais. Você é tudo, que virou um nada.

Chorei o silêncio que nós dois em comum acordo resolvemos. Chorei porque nessa vida não se vale mais nada. Chorei porque eu preciso usar óculos para deixar de ver o mundo apenas em minha frente, minha miopia não permite que eu possa enxergar outras coisas, outros mundos, outras pessoas além de você.

Eu dizia que te amava sim, eu disse e você nunca ouviu por estar tão concentrado em planos diferente com mulheres mais diferentes ainda. Você jamais notou que era eu que sempre ficava ao seu lado por mais que o mundo lhe parecesse errado demais. Você jamais notou, mas você foi muito meu e eu fui eternamente sua.

Lá fora faz frio e eu sinto calor. O mundo fala tanto que dessa vez eu não quero dialogar, quero simplesmente me envolver nos edredons e dormir, quero ficar quieta enquanto o mundo inteiro grita e reclama. Sou tão oposto e eu só preciso de tantas poucas coisas que não precisam ser ditas para sempre entendidas. Opa, eu usando um clichê, às coisas nem estão tão mais más assim.

Eu tentei entender quem eu era realmente, se era frágil ou forte, se era superficial ou intensa demais. Mas acho que sou todas, consigo enfrentar o mundo com a minha capa que criei para conseguir vencer os dias tortuosos e retardados.  Eu consolo os outros, mas a verdade que sou eu que preciso de consolo. Sou eu que sou frágil, sou eu que preciso ser entendida.

Tem dias que acordo e quero ser lida, mas tem dias que quero ser rejeitada, e aí que aquela história de azar acontece. Quando quero que me leia, ninguém me toca. Quando quero ser esquecida pelo mundo, todo mundo que falar. Vai ver que só são coisas da minha cabeça que não pensa coisas lógicas.

Mas eu sei que a única coisa que sinto é que você sempre será aquele amor que não há alguma definição. Você me lia, e entendia o que eu queria, e o que eu quero. Você sempre foi o que sempre quis, e eu nunca vou entender a lógica da distância que afasta as pessoas.

Nunca vou entender a lógica do coração que consegue ver amor onde não existe. Que consegue ver amor, onde não nascerá jamais.Você disse vai, e eu fiquei. Eu disse vai, e você foi. O que hoje ninguém vê é que ninguém precisa saber o que há por dentro para entender. Você não vê porque está longe dos olhos, você não vê porque tem miopia, mas o pior de tudo, é que você não quer ver.

Comente com o Facebook:

2 comentários:


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©