20 de mar de 2011

Dia de nada.


Hoje é dia de nada. Nada mesmo. Não pensarei, não escreverei muito, nem quero ligar para ninguém. Hoje é dia de dormir, domingo é um saco, mas hoje é dia de pouco a pouco tentar me tornar alguém melhor. Eu criava coragem para ser o que nunca tinha sido. Arrumei forças sabe lá de onde para poder me reerguer. Depois de chorar muito, gritar muito, pedir muito, resolvi ficar quieta, e resolvi querer que respeitem esse silêncio que eu declarei para o mundo.  Esperava sim que ele voltasse ou partisse finalmente, porque idas e vindas não são legais e me sinto exausta de querer lutar com algo que é bem mais forte do que eu.

Só queria que fosse ele. Ele me salvaria. Ele me buscaria. Ele iria mudar minha vida mas, foi de novo boicotei meus pequenos planos e entreguei os pontos sem ao menos dar qualquer explicação, porque já não havia mais nada para dizer a ele. Não havia mais nada a se conversar, muito menos, a se olhar nos olhos. Não havia mais nada para proclamar, nem para ignorar. Estávamos neutros, estamos neutros ainda. Não vamos mas também não ficamos.
Estou aprendendo a ser uma pessoa melhor.

Estou melhor, acredite.  Só que continuo não gostando de gente apaixonada. Não gosto de ver pessoas que respiram praticamente o amor, e ainda dizem o quão aquela pessoa é maravilhosa. Essas pessoas me lembram como eu era quando descobri que estava apaixonada. Era inundada por aquele sentimento forte e inacreditável. Era inundada por ele diariamente e coitado de quem achasse ruim.

Não tenho mais vontade de fazer com que todo mundo sofra, não tenho mais vontade de querer mostrar as verdadeiras faces do amor para os apaixonados, mas em compensação eu também não quero enfrentar nada, nem mesmo a vida. Vou deixando cada um tomar o seu caminho sem ao menos perguntar se lá é o lugar ideal. Vou me deixando partir. Vou deixando ele ficar. Mas jamais ficaremos do jeito que fomos um dia, meio música do Lulu Santos não é? Mas também não me importo com isso.

Tinha milhares de coisas para dizer não só para ele, mas para o mundo. Mas para que vou falar se não tem ninguém mais aqui para poder me escutar? Vou me calar sem medo, ou sem querer gerar polêmica. Tinha tantas coisas a dizer para ele, coisas bonitas e tristes, coisas do tipo que tenta retratar saudades, coisas do tipo que dizem claramente que eu gostei dele da maneira mais linda e pura que poderia existir. Sempre houve um problema entre eu e ele e isso era claro. Nossas vidas são opostas, nossas rotinas são confusas, e a única coisa que poderia ser igual seria a nossa personalidade, que antigamente eram tão idênticas.

Não posso pedir mais nada, mas sabe, eu queria mais um pouquinho de fé, só para terminar esse mês ou o ano, quem sabe. Não posso pedir nada, mas eu queria voltar a ser o que eu era com ele. Eu gostava tanto dele, e não havia ninguém que mudava isso. Que pena! Tudo se perdeu, eu me perdi, você se perdeu, e cada vez mais eu vou perdendo a esperança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©