30 de mar de 2011

O que ele queria.



Sempre me lembro dele, o sorriso, o abraço, e a falta. Ele sempre preferiu ser o pegador, o insensível, e o machista disfarçado, enquanto isso desejava apenas que fosse apaixonado por mim. Antes era eu que dava medo em todas as pessoas com essa história de amor, hoje, são as pessoas que colocam medo em mim e me deixam paranóica.Ele sempre escolheu viver longe enquanto eu o queria por perto. Éramos opostos. Água e Vinho. Mas poderia ser água e cachaça não é? Mas não, ele prefere ser insensível a se apaixonar por mim. Eu que não afeto a vida dele em nada, eu que não mudo, eu que sou carente, eu que sou a complicada, e ele é o que quer ter um relacionamento com uma menina oposta.
Ele quer uma menina que não bebe, não fuma, não fala palavrão. Ele quer uma menina morena, e de cabelos enrolados. Ele quer uma menina quieta e que não escreve para um blog. Ele quer uma menina difícil para ele e pra piorar, ele quer alguém que tenha o valor necessário. E eu sou o oposto. Eu falo palavrão, tenho cabelos lisos (progressiva serve para que?) E eu sou desiludida.Escrevo e ainda sou fácil para ele, para piorar a situação, abandonei meu orgulho por aí. E jamais daríamos certo, e mesmo assim, insisto porque ele me lembra fé.
Por não saber nunca o que ele queria de mim, eu quis entendê-lo. Eu só queria pensar igual a ele, queria ver até que ponto tudo era farsa ou verdade. Só queria que ele me fizesse entender que a mente era complexa demais e que jamais conseguir distinguir seus pensamentos. Eu só queria que ele tivesse um terço do que eu tive por ele. Mas não sou o que ele quer, e sempre fiz questão de ser como ele queria que eu fosse.
Queria que eu emagrecesse igual as amigas que ele tanto gostou, emagreci. Quis que eu ficasse morena, fiquei. Quis que eu fosse mais quieta, me calei do nada. E esnobei, porque é isso que todo mundo me diz. Não Layla, para de ser fácil pra ele, deixa ele correr atrás. Não Layla, ele é impossível. Não Layla, Não faça isso, não faça aquilo, não fala isso. Poxa,  eu fiz conforme o mundo quis, dancei conforme a música. E veja onde estou.Estou sozinha no escuro, perguntando onde ele está, em qual menina que está apaixonado. Estou sozinha, e procurando algo que jamais existiu ou se existiu, passou. Olha onde estou, criando planos e boicotando todos esses sonhos, pelo simples fato que não levo a vida sério, já que ele, o menino, nunca me levou.
Eu o procurei. Liguei, desliguei, mandei mensagem. E eu nunca soube o que ele queria. Ele me ligava, e desligava.  Apaguei o número dele da minha agenda, e salvei de novo, até que um dia apaguei de vez o número, mensagens. Resolvi deletar uma vez por todas o nome dele do meu mundo. Mudei o número e consegui novamente o telefone dele, e de novo, mandei mensagem e de novo, o desprezo. Aí pensei em ser uma mulher moderna que não acredita em amor e que só acredita em sexo. Aí eu pensei em ser uma dessas que começam a sair por aí e conhecem pessoas diferentes e as desprezam. E aí, me tornei isso, uma monstrinha.

E o que ele queria? Não sei. 
                                            http://saudadesdescritas.tumblr.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©