19 de jul de 2011

Fugitiva


Não, aqui você não entra! Queria dizer isso para o amor, às vezes. Não, aqui você não passa! Queria poder dizer isso para a esperança que sempre tenta invadir meus dias mas simplesmente faço de difícil e viro algo que não sei o que mais é. Virei uma fugitiva do amor, da esperança e de tudo que poderia me fazer acreditar em uma nova história. Sou fugitiva do caos, das cartas. Sou fugitiva desse teu amor empedrado. Sou fugitiva da nossa história, da nossa vida, da nossa despedida.
Fugindo de tudo aos poucos: lembranças, telefonemas e pessoas. Fugindo de sentimento e de escolhas, apenas fugindo porque fugir é legal, fugir é divertido, esconder é melhor ainda. Escondendo de tudo que possa haver entre eu e mais uma pessoa, escondendo essas cartas do mundo, escondendo você do destino. Pouco me importa se vão me julgar ou não, pouco me importa se alguém mais vai embora, porque hoje quero esquecer de todo mal que me  causaram. Hoje quero pensar em nada, só deixar a brisa bater – coisa de maconheiro isso né? – mas ainda assim, não me importo.  Nem todo dia sou dramática, nem todo dia sou sentimental, nem todo dia eu sou sua. Nem todos os dias vou querer sair a procura de você, tem dia que a única coisa que quero é esquecer o que fui e criar uma nova vida, uma nova história. Tenho vontade de escrever uma nova história para mim mas algo muito mais forte não me deixa, sempre dou algumas voltas no assunto e quando percebo estou escrevendo sobre a sua falta. Não devo mais pensar em você, nem ao menos escrever, afinal, já se se passou tanto tempo que aos poucos vou te apagando da minha mente. Aos poucos, o grande sofrimento se torna arte, um pequeno texto, uma frase bem ensaiada.
Claro que me dá um nó na garganta enorme quando vejo que está seguindo a vida conforme mandei. Você está sendo feliz e está fazendo uma pessoa também bem feliz, isso é o que importa, mesmo sabendo que isso me dói, continue assim. Não quero que nenhuma menina passe por aquilo que passei com você, não quero saber que existem outras desiludidas por sua causa. Mesmo sabendo que quando te conheci já havia meninas querendo te matar pelo fato de que não soube amar nenhuma delas. Mas sabe, estar longe de você me fez pensar no que havia me dado e no que havia tirado. A única coisa que consigo pensar hoje é que foi melhor assim, mesmo sabendo que ainda te procuro nos escuros, nas bebidas e na tristeza. Eu sei que tento me enganar todas as noites e todas as vezes que tento escrever um texto que tem nada a vê com você. Sei que tento disfarçar com aquela história de “Ah-você-está-bem-e-eu-estou-muito-bem-obrigada”  Mas preciso encontrar maneiras de seguir a minha vida, por pior que seja.
Sinto saudade que quase me esmaga todos os dias, sinto saudades te tentar ser bonita e de querer ficar cada vez melhor. É engraçado que quando me deixou, eu simplesmente esqueci que havia outras para me preocupar. Tudo isso é tão patético que chega a me dar dó de nossa história e daquilo que nos tornamos.  Não me arrependo de perder tanto tempo escrevendo para você, não me arrependo de querer  te reconquistar do meu jeito, mas me arrependo pelo tempo que perdi pensando que voltaria. Hoje eu sei, hoje a realidade invadiu tudo e tenho a consciência de tudo que está acontecendo. Você não vai voltar, conheceu alguém melhor. Você não vai voltar porque nosso tempo acabou. Eu já não faço mais parte do seu mundo, não somos mais nada, nem conhecidos. Você faz parte do meu mundo pelo fato das cartas mas além disso, pouco me recordo. Claro, tem dias que é impossível controlar a saudade aflita dentro de mim, mas às vezes é tudo tão mais fácil. É tão mais fácil não te amar, é tão mais fácil não amar ninguém.
Não quero que me destruam outra vez. Custei tanto para me reconstituir parte por parte que não deixo que me quebrem. Por isso fujo de tudo que possa me prender. Sei que posso lidar com algumas coisas que simplesmente não vão me prender, porque sei que sou passageira para eles. Sou passageira, não tenho um lugar fixo. Estou sempre indo e voltando, e obviamente me cansando dessas idas e vindas. - Não te amo, não te quero mais, não preciso de você -  Será tão lindo o dia que conseguirei falar essas frases sem olhar para trás e muito menos se arrepender.
Eu fujo porque tenho medo da dor, fujo porque posso destruir corações, fujo porque sou uma menina que não quer crescer. Fujo porque quero ser esquecida, quero que esqueçam o que fiz de mal. Fujo, apenas. E continuarei fugindo até a sua volta. 

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Layla, meu bem. Fuja, fuja sim. Mas fuja de volta para a tua vida, para as tuas rédeas. Você tem um coração lindo, e merece tanto ser feliz. Merece um amor compensador pra toda essa tua dor e aperto de saudades. Pense que tudo passa, se a felidade é passageiro, o sofrimento também não pode ser eterno. Lay, Vamos voltar. Já é hora,
    Com amor,
    da tua sempre amiga,
    Marcella Prado

    ResponderExcluir
  2. Fascinada pelo seu blog. É como se eu o tivesse encontrado no momento mais exato.

    Elaine

    ResponderExcluir


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©