8 de jul de 2011

Esquecer




Não sei esquecer nada. Sou uma memória ambulante. Guardo situações, cartas, frases e abraços. Não sei simplesmente ignorar o que me fez feliz, não sei fingir que não importo com algo que me sugou muito durante muito tempo, não sei parar de pensar no que tudo aconteceu. Sou acomodada também. Mal consigo viver com isso e quando dou por mim, estou cheia de lembranças. Sei que preciso deixá-las para trás, sei que é preciso abandoná-las, mas não consigo. Na verdade, não tento porque tenho medo de esquecer de tudo que um dia me fez feliz. Tenho medo de seu nome ser tão comum, como se fosse apenas mais um menino que já tenha passado por mim e que não me fez sentir apaixonada durante muito tempo. Mentira, foram dois anos, dois anos nessa solidão, nessa loucura que é entre o que se espera e o que não se guarda. Foram dois anos que me prendi numa história e eu não queria mais saber de ninguém.  Essa história me cansou muito, e eu percebi que se não começasse a olhar o mundo de outra forma, ele jamais mudaria. Então, comecei a olhar o mundo de um jeito inocente, aos poucos, fui deixando o grande podre de lado e fui vendo tudo de um jeito mais bonito. Aos poucos, fui parando de ter só na minha mente você, com o passar do tempo, acabei me permitindo amar outro menino.

O nosso amor não daria certo, e eu sempre tive a consciência disso, mas queria tentar. Você era a arrogância em pessoa e a no seu olhar havia somente a prepotência. Era um completo cafajeste, era um completo idiota que faz todas as meninas se derreterem e caírem apaixonadas. Você é do tipo que engravida uma menina e a ainda te agradecem por ter feito aquilo, pelo simples fato que você ocuparia o lugar de pai bonitão. Te agradecem porque você é bom, porque você é bonito e tem um jeito de cativar totalmente diferente. Mas aos poucos, não fui mais caindo nessa história e começou tudo a desandar. Uma ligação perdida, um vácuo na internet, um SMS respondido grosseiramente. Aos poucos, fui negando, fui querendo fugir de algo que só me fazia bem. Fui tentar enganar o mundo e olhe só... acabei sendo enganada por um amor louco, louco e surreal. Confesso que várias vezes fui dormir com o seu olhar em minha cabeça e tem dias que odeio andar pela casa ou me deparar com situações que na época me fazia te contar. Há dias que me lembro de cada canto que sentei, aflita, esperando que você aparecesse. Há dias que seu nome e seu sorriso me aparecem de vez em quando. Mas há dias que reflito e descubro que você é apenas um cara idiota.

Vou me apaixonando aleatoriamente, um sorriso diferente de um, o olhar paralisante de outro, e um sorriso doce daquele bêbado. Vou me apaixonando com prazo de acabar. Minhas paixões duram dias e eu não os esqueço. Vou guardando dentro, vou me recordando, vou me deixando pronta para substituir a qualquer hora. Se não der certo com um, terá que dar certo com outro. Consigo até mesmo me enganar com esse joguinho de “Ah-eu-esqueço-todo-mundo-mesmo”. Mas não é nada disso, nunca foi. Eu não sei esquecer, vou me atolando, vou socando esses amores dentro de mim, e sei que não agüentarei mais. Desisto fácil, não quero que ocupem o seu lugar. Desisto fácil e ignoro o fato de desistir. E quando alguém comenta comigo, apenas digo “Não, eu não desisto”. Sendo que é mentira. Tenho a total consciência que desisto de tudo e de todos muito rápido. Não sei mais aonde está. Não sei mais sobre sua vida, seus casos, e sua felicidade paralela. Não sei mais sobre seus pensamentos ou suas frases de efeito. Não ouvi mais seu sorriso e muito menos a sua voz. Não mais vi o seu olhar. Não mais consegui respirar aliviada depois de tudo isso. Mas eu sei, um dia, tudo isso precisa passar.

Consigo até mesmo desejar outra pessoa. Consigo até mesmo fazer planos em cima de outro menino – E eu sei que o tormento irá recomeçar, então, apesar de eu estar suspirando que nem uma louca, então prefiro apenas esquecer - Nunca mais esquecerei esse conto mal feito que durou tanto tempo. Nunca mais esquecerei o que escrevi e suas palavras tortuosas – como se eu tivesse culpa, como se eu tivesse escolhido me apaixonar – Nunca mais vou me esquecer mas pensando em nunca sempre dá um tom maior de drama. Então, não esquecerei tão facilmente, durante dias essa história ainda ficará na minha cabeça. Durante meses me perguntarei o que acontece na sua vida e se está feliz. E o tempo passará rápido, e você se tornará, finalmente, apenas uma lembrança amarelada dentro da minha memória e dentro dos meus textos. 

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Amei, esse post e seu blog *-*
    ée eu também não esqueço fácil das pessoas qe deixaram um pedacinho delas em mim, mais parece qe ela esqecem rápido...

    ResponderExcluir
  2. Será que falar para você seguir em frente, seria a melhor opção? Não, não seria e não é. Muitos dos que se passam por seus amigos dizem isso, mas ninguém sabe o quanto é dificil dar um passo no futuro sem ao menos olhar para trás, e trazer a sua memória o rosto dele. Layla, te desejo força, fé e sucesso. Um dia reconheceram o que voce faz, e todas as lágrimas que foram derramadas, durante as madrugadas.

    ResponderExcluir


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©