7 de jun de 2011

A demora



Não tenho tanto tempo para ficar sofrendo por um amor perdido. Um amor que simplesmente me mandou embora como se eu fosse apenas uma menina que mal sabia o que queria da vida. Mas você nunca soube disso: Eu sempre desejei ter você para mim. Eu queria que você me amasse a todo custo, queria te ter por perto mesmo que isso fosse tão impossível, tão difícil, tão dolorido. Quanto mais o tempo passava mais certeza tinha que precisava ser sua para finalmente ser feliz. Aí, depois de muito sofrer e de me ferrar por todos os lugares que andava, resolvi colocar um belo ponto final nessa história de depender de você para tudo nessa vida.  A única certeza que eu tinha era que queria que o tempo passasse logo. O amor foi acabando aos poucos e eu quase não notei isso. Depois de muito tempo, fui esquecendo a sua voz, do seu jeito. Fui me esquecendo de você.  E eu não queria mais nada, só queria reconquistar o meu lugar perdido e o meu amor usado. Não me importava se seria ou não a última ou a primeira, mas eu queria que você percebesse que jamais vão sentir o que eu sentia. Jamais vão te ver do jeito que eu vi, nesse tempo todo.
O problema é que o carinho continuou, então, fiquei exposta ao ridículo. Te procurei para saber se estava tudo bem e o máximo que consegui foram frases curtas e com uma puta segurança. Te procurei mesmo sabendo que logo estaria sendo desprezada de novo, e de novo, e mais uma vez  e mais outra... Não quero mais sentir nada por você, e é sério. Não suporto mais sair a procura dos seus rastros. Não suporto pegar o meu celular e morrer de vontade de ligar. Não suporto te amar. E eu nunca falei tão claramente como hoje. Por mais que eu sinta sua falta, preciso por no meu lugar. Preciso aceitar os fatos, por mai s doloroso que seja. Preciso seguir minha vida, por mais errada que for. Preciso voltar acreditas nos sonhos e nas pessoas. Mas não acredito em utopia, e o amor nos faz viramos utópicos demais. Eu me tornei alguém tão diferente. Me tornei alguém mais intolerante, menos simpática e mais briguenta. Sou briguenta mas ainda consigo ter um pedacinho sensível. Ainda choro vendo filmes, sou uma menina, e por mais exposta que seja, consigo ficar com minhas bochechas coradas. Adoro quando o mundo finge que não me lê. Adoro cada uma dessas pessoas que me entendem e mesmo assim preferem o silêncio. 
Muitas vezes disse que não me importava se você estava bem ou não, mas no fundo, me importava muito. Para todos os efeitos, eu já te esqueci. Sabendo que te amarei um ritmo frenético até não sei quando. Às vezes me esqueço do mal que me fez. Às vezes, consigo até mesmo acreditar que você irá me ligar a qualquer momento. Mas nada disso acontece. O silêncio reina entre nós, e eu continuarei minha vida. Continuarei sendo o que todo mundo estava acostumando: a falante, a doida, a animada. Mas atrás de toda alegria, de todo riso, e de todo falatório, existe uma menina triste, totalmente solitária que não sabe ao certo se quer viver o amanhã.
Minha antipatia aumentou-se porque não suportava mais ter o meu orgulho ferido. A sua indiferença foi bem maior que o amor que eu sentia. Sua indiferença acabou com a minha fé que ainda existia. Queria mesmo que você pudesse voltar, me reconquistasse – eu ajudaria nisso, juro – Mas o mundo segue girando e não sei o que realmente será. Seu desprezo, sua indiferença, mas ainda há sua voz, e seu jeito. O mundo continuará tendo guerra, polêmica, festas. Mas eu não continuarei com esse amor. O amor passa, a sensação de ser desprezada não. A mágoa passa, o perdão vem. A vida continua uma ciranda inconfundível.
Pode até parecer loucura, mas jamais desejei sair dessa loucura chamada de amor. Eu sei que não faz a mínima idéia que seja para você esses textos. Mas você é apenas um menino carente que merece um lugar dentro de mim. Você é um menino mal, que destrói corações, mas que eu quero me lembrar do seu nome e de sua voz. Eu não te odeio. Eu odeio a parte em mim que faz com que eu me sinta apaixonada constantemente. Odeio essa parte sua que vive em mim. Odeio tantas coisas nesse amor que só me faz querê-lo mais. Quero que você saiba que não importa por qual lugar andarei, mas ainda assim, estarei pensando em você. Quero que guarde isso, mesmo que te magoe ou fira seu orgulho : Jamais vou me esquecer do que você me fez sentir, por mais louco que seja. Sinto falta, sinto saudade, sinto uma coisa absurda dentro de mim que só aumenta. Seria tão bom se conseguíssemos substituir as pessoas e suas emoções. Adoraria substituir você. Adoraria olhar somente para frente mas tem algo muito forte que não me deixa seguir e aí vivo olhando para trás, invejando-me a minha felicidade antiga. O destino é trágico, a vida não é fácil e eu pouco tenho escolha. Preciso seguir em frente mesmo querendo voltar. Porque tudo era mais fácil  quando acreditava cegamente que te amava, hoje não tenho mais certeza e tudo pode até parecer mentira.
Vou continuar ignorando essa urgência de te ver, e de ser sua. Não quero bancar a boa menina. Não quero continuar nessa farsa de evita a vida para que tudo volte a ser como era. O futuro será melhor, eu creio nisso.   Eu sei que daqui uns tempos, virarei lembrança e você também se tornará para mim algo que foi lindo mas que precisei deixar. É uma merda, uma grandíssima merda. Tudo demora, e eu odeio esperar. O futuro não vem, o passado não vai. E eu fico no meio entre querer e esquecer. Por falta ou pelo excesso que criei, tudo isso se tornou dolorido e não me faz bem. O futuro, acredite meu bem, será tão bom para você quanto para mim. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©