26 de set de 2011

O odiado



Passo a metade do meu dia te odiando e a outra metade pensando como seria se nos dois já adultos convivendo ou até mesmo sendo algo bem mais forte que amigos. Passo a metade do meu dia criando planos para gente e a outra metade deletando cada um deles. Sabe por quê? Porque você nunca vai saber que eu penso tanto em você, você jamais vai saber que estou te escrevendo esse texto e que estou sentindo um amor absurdo dentro do meu peito. Você jamais vai saber que se tornou aquele amorzinho, quietinho e silencioso e que reside lá dentro da minha alma. Ninguém, nunca, vai saber seu nome. Porque é de você que eu gostei nesse tempo todo. Prefiro te odiar para sempre do que te amar enlouquecidamente. Prefiro ser a conhecida que te agrada do que a psicótica que te persegue. Eu prefiro ser sua aqui nesse texto do que sua inimiga lá na rua. Eu te amo mesmo e desde sempre, isso eu tenho a noção. E eu sempre escondi tão bem isso. Escondi e pelo jeito vou continuar escondendo. E quero que saiba que eu sinto muito pela gente, sinto muito pelo seu sentimento por mim e eu sinto muito pelo meu amor infiltrado por você. Eu quero que você me desculpe por tudo: Nunca quis te causar mal algum, nunca quis que você bebesse por mim, nunca quis que você virasse a noite como eu estou passando ao tentar escrever esse texto.
Eu juro que tento não pensar, juro que não gosto de lembrar das suas palavras que um dia só conseguiu me ferir tanto. Mas eu estou aqui, te amando cada vez mais em silêncio e querendo ser sua no futuro. Eu quero te encontrar quando estivermos maduros o suficiente para poder dizer tudo que haveria ter que ser dito hoje. Eu torço muito para ser sua lá no futuro. Eu quero ser sua para sempre e você não pode nem sonhar com isso. Tinha medo de me arrepender de tudo somente quando eu tivesse uns quarenta anos, mas não, eu não precisei de tantos anos assim para me arrepender de tudo que eu havia te causado. Em outros tempos eu poderia dizer que te odeio mas do que minha própria existência mas o que eu sinto lá guardadinho dentro do meu peito é bem maior do que sentir ódio da pessoa mais odiável existente e presente na minha vida. Cansei de te odiar sempre, eu só vou te odiar aos pouquinhos só para não te cansar e não me cansar. Cansei de amar sempre por isso encontrei o ódio para tentar abafar toda mágoa e humilhação que um dia me fez passar. Você pode estar lendo este texto sentindo vontade de me matar ou até mesmo está sentindo vontade de sorrir, porque finalmente estou escrevendo um texto tão meu e seu.
Tenho que te odiar para sempre só para te amar de vez em quando. Quero te amar para sempre só para te odiar de vez em quando. Te amar e te odiar é exaustivo demais, mas eu enfrento. Eu te olho com uma raiva misturada com um amor entalado e eu não posso fazer nada. Não posso assumir, não posso reclamar, não posso nem ao menos dizer que você deveria me amar para sempre: sendo bonita ou feia, tosca ou foda.Eu nunca te amo sempre, nunca mesmo. Em tempo indeterminado o amor vai passando e depois te esqueço. Te esqueço e te abandono porque é bem mais fácil para mim e para você. Eu nunca mais vou poder te abraçar. Nunca vou poder dizer que eu realmente te quero para sempre por perto. Nunca vou poder dizer bem baixinho que você é o retardado tão lindo e que deixa tudo lindo perto de mim. Eu nunca vou poder dizer nada do que eu quero e isso me deixa tão triste. Você sabe que eu te amo, sabe mesmo. Mas você prefere não acreditar nisso. Ou talvez você se pergunta se eu te amo para si mesmo, agora você tem a minha única e definitiva resposta. Eu amo você. Eu amo você mesmo quando vai embora. Eu amo você mesmo quando você fica ao meu lado mas ainda assim tão ausente. Eu amo você com todas as vogais, sílabas e copos de vodkas possíveis. Eu amo você mais do que qualquer coisa, e nesse tempo todo só me fez entender que é você que eu preciso. Que se dane quem me deixou. Mas é por você que eu luto e tento ser melhor – só para dar te dar o gostinho de ter perdido alguém como eu – Mas eu nunca consigo, e você ri disso. Você ri das minhas neuroses e ainda comenta que eu sou apenas uma menina azarada.
Eu nunca quis te causar algum sofrimento, e eu digo isso com toda certeza que ainda existe dentro de mim. Nunca quis que você se culpasse. Nunca quis o teu mal. Tudo que eu fiz de alguma forma foi pensando no que seria melhor para você.  Eu me conformo com tudo que provoquei. E já é tarde. Já é tão tarde que penso que não é nunca mais tarde para eu e você. Mas tudo bem, eu quero que você seja muito feliz. Me conformo e aceito. Você não é meu e eu não sou sua. Mas também sei que vamos nos completar quando a carência ou quando a realidade chegar novamente. Eu quero que se lembre de mim. Quero que sorria ao lembrar quando te contava sobre o meu ciúme tão insuportável. Quero que sorria quando se lembrar desse texto que fiz. Quero que sorria mais uma vez ao se lembrar que alguma menina tão louca está pensando em você. Quero que se cuide como eu queria que se cuidasse. Se cuide como eu cuidaria de você. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©