28 de jun de 2014

O poema desorientado




Alguma coisa acontece só que não sei o que é exatamente
Alguma coisa desacontece quando digo tchau
Alguma coisa floresce quando você aparece
Alguma coisa apodrece quando dizemos que é o fim

Alguma coisa desaparece quando a criança chora
Alguma coisa enfeita quando alguém sonha
Alguma coisa enfeia quando você desaponta
Alguma coisa, só alguma coisa, me perde quando eu te encontro

A vida e seus nós
Os nós e a minha vida
A minha vida
A sua vida
A nossa vida que nunca existiu

Aquele texto não faz mais sentido
Você não faz mais sentido
E eu nunca fiz sentido algum
Do mesmo jeito que a vida desfaz
Eu te desfiz de mim
Eu te desfiz do meu mundo
E dos meus versos

Aquela paixão infantil já não existe mais
Aquele amor de infância desapareceu
Aquele amor entalado na garganta não faz mais questão
Aquele amor desfeito acabou
E aquela alma entristeceu


Textos não fazem sentido
Horóscopos não fazem sentido
As estrelas não fazem sentido
E infelizmente
Eu também não faço mais sentido. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©