24 de set de 2015

O amor que vai e não volta



A gente já se despediu inúmeras vezes. E todas às vezes me reinventei porque não queria que você mais me conhecesse, todas às vezes, eu me reinvento só para poder dizer que não há mais nada seu aqui comigo. Mas ainda assim, continuo sendo a mesma de sempre. Continuo repassando suas frases aleatoriamente dentro da minha cabeça. Continuo carregando sua personalidade dentro do meu peito, continuo carregando suas frases tortas e teu jeito tão prepotente comigo.

Nunca vou entender porque a gente sempre continua indo e voltando. Nunca vou entender porque seu olhar é o único lugar que realmente me sinto segura, ou porque simplesmente eu gosto do som da tua risada. Você sempre vai quando a gente se torna de verdade. Você sempre vai antes mesmo de descobrir que amo a cor verde, que sou apaixonada por botânica, e que sou meio melancólica. Você nem ao menos sabe que banco a escritora, e que queria ter feito jornalismo por muito tempo. Você sempre vai antes de saber que sou aventureira mas morro de medo de altura, e que às vezes, eu choro ao invés de rezar. Você sempre vai embora antes mesmo de eu dizer que acredito no amor, e que quero me casar. Você sempre vai embora antes mesmo de mim.

A gente nunca chegou a comer realmente o brigadeiro de paçoca que queria. Por mais inúmeros convites de homens aleatórios para sair, tudo que eu mais queria era o brigadeiro de paçoca. Não há bar tumultuado de faculdade, não há bar que vende pastel, não há bar algum que chega a substituir a minha vontade de fazer algo leve como você. Você que sempre aguentou minhas loucuras de um jeito tão sútil, ou até mesmo de um jeito tão engraçado que fazia com que as minhas loucuras se encaixassem nas tuas.

A gente se beijou pela primeira vez há um ano atras, e eu nem ao menos me senti culpada.Você com a cara mais cínica e mais linda dizendo "O que é que tem?". O que é que tem? O que que tem é que eu gosto de você tão cegamente, e tão surdamente. O que é que tem é que você se afasta e eu me contorço de saudade reprimida. Torço para que não vá tão longe, torço para que não seja de outra, torço para que não fique tão as minhas sombras. Não suportava te achar o homem mais incrível, e o homem mais bonito que eu havia conhecido. Não suportava sentir que o meu mundo fosse desabar todas às vezes que me olhava. Não suportava nem ao menos te ter por perto.

Esse texto por mais que seja sobre o não amar alguém, significa que há tantas mais formas de gostar de alguém que te salva e te perde. Que te busca, e te encontra diversas vezes e de formas diferentes. Você nem ao menos sabe que odeio te odiar pelo simples fato que tudo me cansa muito. Viver de joguinho sentimental me cansa e não desejo nada disso para ninguém.Viver de joguinho só me faz querer te odiar mais, e eu odeio muito te odiar.

Peço desculpas ao meu ódio tão intenso para poder gostar de você. Peço licença para a minha personalidade tão mandona, para poder brincar de ser sua de vez em quando. Só quero que o dia acabe e que eu não te odeie e que você não termine indo embora pela milésima oitava vez no ano. Só quero saber que lá na frente, você ainda continua sendo meu e eu continuo sendo sua. Só quero terminar o dia para te dizer mais uma vez: Eu ainda estou aqui.




Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©