3 de jan de 2014

Adeus você




Fogos estouraram comemorando o ano novo
Eu falei baixinho um adeus
Uma lágrima caiu
Caiu meio desajeitada
Meio falsa
Meio bêbada
Meio sem graça

Uma lágrima meio falsa
Meio romântica e poética
Meio Lispector
Meio Leminski
Meio Bukowski

Meio crônica
Meio Martha Medeiros
Meio Tati Bernardi
Meio Caio Fernando

Meio dramática
Meio sem sal
E sem muito escândalo.
A lágrima apenas desceu.
Desceu sozinha.
Igual a nossa história
 
É só mais um adeus
Um adeus programado e prolongado
Um adeus evitado
Um adeus tão sem graça
Que não há graça de assistir

Os fogos continuaram
Outra lágrima rolou
Rolou como havia de rolar
Como havia de sangrar
Como havia de ser
Outra lágrima. Outro fogo de artifício.
Outro eu

Meu corpo estremeceu
E de novo quis fugir
Fugir pra lá
Pra cá
Fugir pra sua casa
Pra sua vida
Pra sua história

Mas não posso
Posso até ser adulta e sua
Posso até ser criança e nua
Posso até ser de ninguém e crua
Posso até não ser de mais ninguém
Nem minha. Nem sua. Nem dele

Mas na verdade
Não posso dizer adeus
Para aquilo que nunca começou
Não posso terminar algo
Que infelizmente
Não começou

E mais uma vez
Adeus você
Adeus de novo
Adeus ano velho

Adeus de novo
Adeus.

 Para ouvir: Adeus você - Los Hermanos

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©