1 de nov de 2011

Eu sou ridícula



Eu sou ridícula. Passo a metade do dia querendo provar para o mundo e para todas as minhas redes sociais que estou bem, e passo a outra metade querendo provar para mim mesma o quanto sou ridícula, sozinha e solitária. Usei diversas máscaras que perdi já qual é a minha preferida. Passo os dias me adequando conforme as situações. Na hora do perigo, eu viro outra. E na hora de ser feliz e louca, viro a que todos já estão cansados de ver. Na academia eu sou uma. Não olho para os lados, sou centrada e seca. Não quero que ninguém gostosão ache que estou dando em cima. Na escola, eu tento ser a descolada mas ainda assim chata, insuportável. E aqui, eu posso ser do jeito que quero. E me sinto incrivelmente ridícula. Passo a metade do meu mês criando planos, e a outra metade faço questão de destruir tudo. Falo em voz alta: Esse não vai dar certo, não sei porque fiz esse, não quero mais aquele, esse é ridículo. E quando dou por mim, estou zerada. Talvez zerada não fosse tão a palavra correta. Mas ainda assim, me sinto ridícula.
 Vejo as minhas antigas amigas e todas elas estão lindas, mal me olham, mal conversam comigo. Por escolha ou destino, nós não somos mais amigas. E eu sinto falta delas, juro que sinto. E eu queria que elas fossem minhas madrinhas de casamento – Mesmo sabendo que eu nunca vou me casar- Eu queria que elas se tornassem as madrinhas dos meus bebês, ou dos meus animais, tanto faz. Sinto falta dos meus amigos de infância, e daquele meu amigo que era meu vizinho e que acabou falecendo. Será que ele para ser o meu amor eterno? Talvez seria com ele que eu fosse me casar, ou dar uns amassos. Mas não, o destino me boicotou e levou tudo. Não tenho mais amigas de infância e nem o meu amigo que poderia ser o cara que iria me conquistar ou me odiar inteiramente. E eu me sinto mais ridícula porque não tenho plano algum. Vou para academia, faço meus exercícios e a mesma cara de ridícula. Quando me falam um oi em sussurros, respondo em sussurros. Não me importo. Só sinto dó de meninas que conseguem se tornar mais ridículas do que eu. Meus ex namorados me odeiam. Ou então, perdem os precisos tempos que os restam com as novas namoradas lendo os meus textos. E inúmeras vezes, deparei com os comentários deles perdidos por aqui. Alguns falavam que me amavam, outros me zoavam eternamente com a escolha que eu fiz. Precisava desabafar e esquecer um amor que chega até ser deprimente. Então, que venha os 365 dias sem ele.
Tento criar amores para me acalmar. Consigo isso sem criar muita expectativa. Mas logo esqueço. Eu só queria que um amorzinho qualquer sossegasse dentro de mim. E eu me sinto tão burra, tão passageira, tão estranha por ser dona de todos e mesmo assim, todos não me pertencem realmente. Me sinto muito ridícula. Eu sou tão ridícula que tento chorar mas ao mesmo tempo tenho essa necessidade de sair por aí provando que estou bem. Mas eu não quero mais provar que estou bem para que os outros vejam. Quero chorar muito quando o fim chegar. Quero sentir que não tenho mais forças para chorar. Mas na verdade, perdi toda a vontade de sofrer.
E eu fujo do amor. De verdade. Corro como se fosse uma gazela saltitante para longe de tudo que possa me deixar suspirando. Então, sempre estou pronta para ir e nunca para ficar. E eu me sinto muito mais ridícula quando vejo que estou fazendo planos em cima de uma noite qualquer ou de uma conversa fofa que me deixou balançadinha e suspirando durante dias. Continuo nessa de dramatizar já que minha vida é incrivelmente chata. E ele, o que me deixou, deve gargalhar por conta disso. E eu só queria que ele soubesse que nunca mais vou querer que ele apareça. Necessito que ele suma para que nunca mais volte. Nunca mais. Não quero a notificação dele em alguma rede social e nem me deparar com as meninas bregas dele. Elas são bregas demais, e eu precisava dizer isso. Precisava porque tenho o orgulho ferido realmente. E eu não estou nem aí mais para nada. Nem para o sofrimento, nem para mim.
Por mais que eu tenha escrito milhares de vezes que não tenho medo da solidão, chegou a hora de falar a verdade. Eu morro de medo de ser sozinha. Morro de medo de perder a minha mãe e ser sozinha para sempre. Eu morro de medo de enfrentar o mundo, sozinha. E eu sou tão sozinha. E eu não gosto. Eu morro de medo de espantar a minha felicidade, mesmo sabendo que isso já acontece. Porque faço questão de ser cruel só para aqueles que se apaixonam milagrosamente por mim, desapaixonarem. Não quero que me amem. Não é por mal, só não quero que as coisas ficam mais complexas do que já são. O drama é meu, e o podre também.
Mas sou tão ridícula, tão menina, tão ingênua que chego a me surpreender. Não era para continuar assim. Esses amores só ficam para que eu possa escrever. E eu sinto tão bem às vezes. Sinto tão indiferente com o mundo, e eu não quero assim. Queria ter um namoradinho, de vez em quando. Queria que alguém perdido por aí, finalmente aparecesse. Alguém como eu sempre escolhi e planejei. E não os outros. Eu não gosto dos outros. Eles são chatos e querem abusar da minha boa vontade quando bebo demais. Só queria que algo na minha vida desse certo e que ninguém mais fosse embora. Porque me cansa tanto. Me sinto tão ridícula por ter que acordar sem saber o que vai fazer, sem planos ou sem alguém para dizer que tudo vai passar -  mesmo sabendo que não existe mais nada para passar – Eu só queria acordar e perceber que continuo sendo ridícula mas que tudo não passou de um pesadelo horrível. Sou ridícula. Eu choro assistindo o filme "A Noiva Cadáver", e eu não queria que ela se transformasse em borboleta no final. Sou tão ridícula ao ponto de escrever e pensar em tudo que passou. Sou ridícula ao ponto de conversar sozinha no escuro. Sou tão ridícula que acabo dando gargalhada disso, porque não me resta outra coisa a fazer. Sou tão ridícula que a única coisa realmente necessito e planejo é dormir. Dormir para que nada mais possa fazer com que me sinta mais ridícula do que já estou sentindo. 

Comente com o Facebook:

11 comentários:

  1. Queria eu que o mundo fosse feito de mulheres ridículas como você.
    Somos duas rídicilas, mas tão ridículas e tão únicas. Não está sozinha nessa.
    Um beijo. Te cuida.

    ResponderExcluir
  2. Há quase quatro meses sigo o teu blog , nunca postei se quer um comentario, e eu não sei o
    porque disso, já que não seria exagero, falar que seus textos mudaram minha vida, eu sei que pode parecer
    ridiculo isso, já que eles não foram escritos nem pra mim e nem por mim, mais é que eles tocaram na ferida,
    ler seu blog me proporcionou , por me sentir varias vezes igual a você, de olhar meu problema de fora, percebe
    que eu não fui a única a me dedicar e sofrer as consequências de um amor que não teve "felizes para sempre".
    E isso me fez mudar, nos ultimos meses criei coragem, para colocar um ponto final em um monte de historias mal resolvidas,
    joguei fora literalmente todas as pessoas podres (incluindo o homem que amava) que so sugavam o que de melhor
    havia em mim,em troca de descaso,e joguei no lixo. Sai do meu estado de acomodação, e passei a viver de verdade, caminhando
    sozinha, mais com o coração tranquilo.Você se diz ridicula,[ Ridiculo: Que tem pouco valor; insignificante,merecedor de escárnio ou zombaria] ,
    eu simplesmente não concordo,uma garota que é capaz
    de dar a face a cara,mostrar o que realmente sente pra todos aqueles que quiserem ler um pouquinho dela,que é capaz
    de ajudar tanto aos outros apenas com palavras (porque sei que não sou a única), pode ser qualquer coisa,menos ridicula.
    Daqui um dia acaba,e sinceramente eu não sei que está menos pronta ,você ou suas seguidoras... hahahhahaha'
    Mas é necessario.Então e so escreve esse comentario,para lhe agradecer.
    Obrigado Layla Peres!
    Boa sorte!
    Eu acredito que você pode. =)

    ResponderExcluir
  3. Amiga, boa sorte amanhã viu? Vou estar sempre sempre com você, independente das escolhas que você fizer, independente de TUDO. Te amo s2 - tai

    ResponderExcluir
  4. Faltam palavras pra explicar.Durante três meses eu acompanhei um pouco dos seus textos e isso realmente me mudou..Mudou Layla me tornou uma pessoa melhor,era você nos textos,mais é como se maioria deles fossem feitos pra me mostrar muitas coisas,eu aprendi e muitas vezes chorei..Chorei por ler uma realidade parecida demais com a minha..Chorei por saber que o meu fim não foi muito diferente de muitas garotas,inclusive você..É difícil dizer adeus a uma coisa que tanto lhe ajudou,eu sei que pra você não deve ta sendo nada fácil,mais sei também que você se comoveu assim como nos leitoras..Vai fazer muita falta.Mais hoje Layla eu te desejo muitas felicidades.Vai la fora,veja o mundo com outros olhos..Vai ser feliz o mundo te espera inclusive,o amor..Sim,todo mundo é capaz de amar novamente..Como diria o bom e velho Renato Russo : ”(..)Sempre em frente,não temos tempo a perder.. Somos tão jovens (...) “
    Sim Layla,vai ser feliz e pegue tudo que durante um ano você adquiriu..Tudo mesmo.
    Escrevi esse comentário pra lhe agradecer por tudo,principalmente a ser forte porque eu sei que não é fácil falar sempre de uma pessoa,e nada mudar..Vai siga em frente a vida é bela e ela te espera...

    ResponderExcluir
  5. Você escreveu esse texto pra mim, não é possível !

    ResponderExcluir
  6. Estou passando por isso agora, sou ridicula, fui ridicula com quem eu gosto o vejo todos os dias dar em cima de outra e mesmo assim quero devolta. Nao tenho mais amigas de infancia, sou só, são todos passageiros e a unica que tenho é a minha mãe. 21 anos.

    ResponderExcluir
  7. Sabe quem realmente é ridicula ou ridiculo> Aquelas pessoas que se acham o máximo, e esse não é o teu caso, muitas vezes me sinto assim pq. o mundo ai fora é cruel... adorei o que escreveu e me identifiquei como acredito que muitas pessoas aqui que leram o seu post também. Acho que vc deve ser uma pessoa muito sincera e fiel. Bjuuuu

    ResponderExcluir
  8. Mesmo q eu seja um nerd, bvl, ñ impressionável... eu queria amar alguém como vc, mim sinto só nessa véspera de natal, mas quando a timidez desistir de mim, tentarei ser feliz algum dia com uma pessoa especial, parecida contigo, uma pessoa para amar pelo tempo q durar, e ter uma história para contar para alguém q eu vivi.E é verdade, passei 10 minutos para escrever isso.

    ResponderExcluir
  9. Ana Caroline23/11/2016 13:56

    Esse texto descreveu meu estado atual ajshd

    ResponderExcluir
  10. Meu Deus. Estamos passando por algo tão parecido, me identifiquei tantoo. Que bom que não estou sozinha. Obrigada por compartilhar esse texto.

    ResponderExcluir


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©